VIVA INDICA - Saúde
26/07/2019   
Inverno x alimentação das crianças
foto: Freepik

Desde o nascimento e ao longo de todo o desenvolvimento das crianças, a saúde e a prevenção de possíveis doenças dos filhos são uma preocupação natural dos pais. De conhecimento de todos, um dos pilares para uma vida saudável é a boa alimentação. Alimentar-se bem não só previne as doenças, como garante a nossa vitalidade, por isso é de extrema importância cuidar do que se ingere. O consumo deficiente de vitaminas e minerais e a ingestão exagerada de alimentos gordurosos, ricos em açúcar, corantes e sal estão diretamente relacionados à incidência de algumas doenças. Ou seja, o que se coloca no prato dos pequenos tem influência direta na saúde deles.

No inverno, esse cuidado deve ser ainda maior, pois o tempo frio, a baixa umidade e a alta concentração de poluentes aumentam o risco de sintomas alérgicos. Além disso, os ambientes fechados favorecem a transmissão de vírus e bactérias e a propagação de doenças contagiosas.

Uma alimentação rica em nutrientes colabora com a resistência imunológica do organismo. Isso significa que crianças alimentadas da forma correta estão menos propensas a ter gripes e resfriados no período de inverno, por exemplo. O cuidado em relação a como deve ser a alimentação das crianças durante todo o ano é o que permite mantê-las protegidas.

As principais vitaminas e minerais que atuam fortalecendo nosso sistema imunológico são as vitaminas A, C, E e o ácido fólico, e os minerais, zinco e o selênio. Para quantidades, consulte um nutricionista especializado. Abaixo, sugestão de alguns alimentos fonte dessas vitaminas e minerais:

• Vitamina A  – cenoura, abóbora, manga, espinafre, batata-doce, damasco seco, brócolis e melão.
• Vitamina C – acerola, frutas cítricas (limão, laranja, lima), kiwi, morangos, tomates, goiaba, brócolis e vegetais folhosos crus.
• Vitamina E – gérmen de trigo, óleos de soja, milho e girassol, amêndoas, nozes, castanhas, gema de ovo, vegetais folhosos e legumes.
• Ácido fólico – feijões, ervilha e vegetais verde escuros (brócolis, couve, espinafre).
• Zinco – carnes, peixes, aves e leite, cereais integrais, feijões e nozes.
• Selênio – castanhas, nozes, amêndoas, frutos do mar, ovo, carne e aves.

Doenças respiratórias
A prevenção de doenças respiratórias, entretanto, deve ser uma junção desses cuidados com a alimentação a outros fatores, como evitar aglomeração de pessoas e o contato da criança sadia com indivíduos com infecção de vias aéreas. Deve-se ainda lavar as mãos com frequência ou desinfetá-las com produtos à base de álcool. Além disso, é importante beber muita água e umidificar o ambiente, assim como evitar a exposição a poluentes ambientais que agravam as infecções e favorecem os processos alérgicos. Caso ocorra o aparecimento de sintomas de doenças respiratórias, procure o médico.

Por: Thalita Cardoso - CRN: 3 55355 Graduada em Nutrição pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Pós-graduanda em Nutrição Maternoinfantil na Prática Clínica e Ortomolecular pela Fundação de Apoio à Pesquisa e Estudo na Área da Saúde (Fapes)

Al. Grajaú 98, sl. 1007. Edifício Pravda. Alphaville | Tel.: (11) 99797-3081 | nutri.thalitacardoso | e-mail: nutri.thalitacardoso@gmail.com

Top 5