REPORTAGEM
27/08/2018    Por João Felipe Cândido
Parabéns, Alphaville!
Prestes a completar 45 anos de existência, o bairro localizado entre os municípios de Barueri e Santana de Parnaíba alcançou o status de símbolo de desenvolvimento planejado, qualidade de vida e segurança em todo o País.
foto: Gabriela Rossa Drewes

Fundada em 2001, há 17 anos a revista Viva S/A tem o propósito de registrar em suas páginas os principais acontecimentos da comunidade. Por isto, nesta edição especial decidimos mergulhar em nosso acervo com a difícil missão de abrir o nosso baú de recordações para resgatar os inesquecíveis momentos que marcaram época. Garimpar apenas 45 lembranças foi desafiador e ao mesmo tempo incrível. Não dizem por aí que relembrar é viver? A seguir, compartilhamos um pouquinho da história de Alphaville por meio de depoimentos, em sua maioria, narrados por moradores ou frequentadores do bairro. São curiosidades, lugares e personagens que trazem doces memórias para nunca esquecer.

1-RODOVIA CASTELLO BRANCO
“No início da década de 1970, meu pai, Yojiro Takaoka, entendeu que a zona Oeste seria o grande polo de desenvolvimento da região metropolitana de São Paulo. O principal motivo? Do lado Norte da capital temos a Serra da Cantareira; do lado Leste, a Serra do Mar; e do lado Sul, as represas de Guarapiranga e Billings. As rodovias Anhanguera e Raposo Tavares também eram importantes e já estavam presentes na zona Oeste. Para chegar a Alphaville antes da construção da Castello Branco, tínhamos apenas dois caminhos, ou pela Ponte dos Remédios ou por Carapicuíba. Logo que foi inaugurada, a Castello era uma rodovia de primeira linha. Com o passar dos anos, foi ampliada e passou a ser iluminada na região. Devido à facilidade de acesso e aos incentivos fiscais promovidos pelas cidades de Barueri e Santana de Parnaíba, Alphaville recebeu um importante polo industrial, além de um parque tecnológico único no Brasil. Tudo isso contribuiu para mudar o cenário da região, que passou a ser geradora de oportunidades, riqueza e progresso, inclusive às cidades vizinhas”. Marcelo Takaoka, engenheiro. (Agosto de 2013)

2-PASSO A PASSO
A pedido da revista Viva S/A, Monica Otero, moradora de Alphaville, ultramaratonista e primeira sul-americana a completar a The Water (corrida a pé com maior nível de dificuldade do mundo), cruzou as alamedas Rio Negro e Mamoré, e as avenidas Alphaville e Yojiro Takaoka, que atravessam o bairro de ponta a ponta. O percurso totalizou oito quilômetros e trezentos metros, em dez mil, trezentos e trinta e três passadas e completados em uma hora e vinte e três minutos. (Setembro de 2007)

3 - ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS
“Alphaville já nasceu entre Barueri e Santana de Parnaíba. As terras da Fazenda Tamboré, adquiridas no início da década de 1970 pela Construtora Albuquerque, Takaoka S.A., estavam entre os dois municípios. Sou um dos vinte primeiros moradores do bairro e vi de perto sua expansão. O primeiro residencial foi concebido em Barueri, porém, com o passar do tempo, Alphaville cresceu em direção a Santana de Parnaíba”. Mário Lopes, empresário. (Agosto de 2013)

4-ALPHATEN
Uma espécie de “quitanda de luxo” do bairro, idealizada pelas irmãs Simone, Milena e Bibi Onaga começou a funcionar no Centro Comercial Alphaville e oferecia frutas, verduras, refeições leves, sushi, sucos, saladas e sanduíches. Nos anos noventa, a loja precisou expandir o seu espaço e se mudou para o Centro de Apoio 2. Lá, aumentou a gama de produtos oferecidos e sempre fez sucesso entre os moradores e frequentadores da comunidade. (Setembro de 2005)

foto: Gabriela Rossa Drewes

5-LA VILLE
“Quando vim morar aqui, em 1982, não existia a padaria La Ville. Os moradores recebiam na porta de casa o pão e o leite, que eram entregues por um táxi que pagávamos por mês. Foi uma festa quando a padaria finalmente chegou. Lá, encontrávamos praticamente todos que moravam em Alphaville. Sinto saudade da época em que todos nos conhecíamos e o proprietário nos chamava pelo nome”. Dóris Lilian Godoy Freire, artista plástica. (Agosto de 2013)

6-ROTATÓRIA ALPHAVILLE
“Tive a oportunidade de trabalhar no escritório do arquiteto Reinaldo Pestana, um dos responsáveis pela idealização do bairro, e acompanhei de perto o processo de desenvolvimento de Alphaville. Acredito que a rotatória seja o eixo matriz e símbolo de Alphaville, no qual existe atualmente a memória de seu criador, o engenheiro Yojiro Takaoka. Quando retorno de viagem, subindo a Alameda Rio Negro, vejo de longe o letreiro com o nome Alphaville e sinto que cheguei a casa”. Graciela Piñero, arquiteta. (Agosto de 2013)

7-TERCEIRA GERAÇÃO
A trajetória peculiar e inspiradora do empresário Fábio Kohatsu, à frente do Jankenpô! Sushi, uma das casas de culinária japonesa mais tradicionais do bairro, pode ser considerada um verdadeiro caso de obstinação e sucesso. Tudo começou em 2003, quando o paulistano deixou o trabalho no setor de informática para se aperfeiçoar com os encantos da gastronomia oriental. Após trabalhar por seis meses em um restaurante em Moema (SP), aprimorou a técnica em sushi durante um curso. De lá, surgiu o convite para comandar um modesto sushi-bar em Alphaville, no Centro de Apoio 2, onde mantém uma das unidades da marca - a outra fica no Shopping Tamboré. Naquela época, o paladar do exigente morador de Alphaville não estava habituado com as receitas que serviam peixe cru. “Foi um trabalho de quebra de resistência”, recorda-se Kohatsu, que atende à terceira geração de clientes, formada por pais, filhos e netos. (Setembro de 2012)

foto: Gabriela Rossa Drewes

8-GRUTA ALPHAVILLE
Considerada um dos cartões-postais do bairro, a gruta Nossa Senhora de Lourdes, na Praça Oiapoque, foi construída por Yojiro Takaoka em 1975 para ser um local ecumênico. Naquele ano, a missa inaugural foi realizada pelo padre Danilo. “Durante a semana, em qualquer lugar, a missa da manhã é vazia, a nossa não. Temos três grupos de frequentadores: os moradores, os trabalhadores e os turistas. Fiz a crisma e o casamento de muitas pessoas, que hoje trazem os filhos para eu batizar”, disse o Padre Marcos de Oliveira Galdino, antigo pároco. (Agosto de 2013). Em 2015, foi sucedido pelo Padre Ubirajara Vieira de Melo

9-AMIGOS DE INFÂNCIA
Moradora de Alphaville desde 1984, se tem algo de que Sabrina Sorensen sente saudade é de seus amigos de infância. “O bairro sempre possibilitou um convívio muito estreito das relações de amizade, pois crescemos e estudamos juntos, moramos próximos e até hoje estamos presentes na vida dos amigos. Atualmente, a maioria deles tem filhos e acabamos nos reencontrando em lugares que fizeram parte da nossa infância”. (Agosto de 2017)

10-HOBBY VIDEO
“Um dos lugares que deixaram saudade em Alphaville foi a locadora de filmes Hobby Vídeo. Comecei a frequentá-la por volta de 1996 e lembro que, todas as sextas e sábados, a galera da escola combinava de se encontrar lá. Era o point do bairro. Se hoje Alphaville já é melhor do que São Paulo para morar, imagine naquela época, em que brincávamos na rua até tarde”. Adriana Cristina Fernandes, designer de moda. (Agosto de 2013).

11-RESIDENCIAL 1
“Quando me mudei para Alphaville, eu sonhava viver no meio de muito verde. O terreno de nossa residência foi escolhido de trator com o Sr. Takoka, pois não havia ruas. A lembrança daquela época chega a parecer um sonho, pois todos eram amigos e se conheciam. Em 1986, para comemorar o aniversário da minha filha, fiz uma enorme fogueira com pilhas de madeira. Foi uma festa e servimos pipoca e quentão”. Maria Lucia Kfouri, professora. (Agosto de 2013)

12-ARTINE
O fotógrafo armênio nascido na Síria, Artine Yaroussalian, se mudou para Alphaville no início década de 1980, sendo o oitavo morador do Residencial 4. Segundo ele, naquela época, todas as igrejas de São Paulo eram semelhantes, até conhecer a famosa Gruta, na Praça Oipoque, em Alphaville. “Foi amor à primeira vista”, recorda-se. Desde então, acumula mais de cinco mil casamentos fotografados. “Tenho registrada a terceira geração da família de muitos moradores da comunidade”, diz. (Setembro de 2005)

foto: Gabriela Rossa Drewes

13-CENTRO COMERCIAL ALPHAVILLE E CINE TEATRO
Numa área com mais de 112 mil metros quadrados, nascia na década de 1980 o CCA. A farmacêutica Ana Maria Monteis escolheu o lugar para inaugurar a Naturaville, em 1898, pois seu irmão, do ramo imobiliário, afirmava que o ponto era bom e o único centro de compras que existiria no bairro. Deu certo e a Naturaville segue até hoje no mesmo local, que possui 1.184 estabelecimentos de 156 segmentos, com público diário de quarenta mil pessoas e sete mil veículos. O publicitário Gilberto Anaya também guarda recordações do CCA. “Além de ser gerente comercial do primeiro jornal de Alphaville, fui responsável pela programação do Cine Teatro, inaugurado em 1991, que também era utilizado como cinema. O boom aconteceu com a estreia do filme A Família Addams. Na sequência, outros longas entraram para a história, como Independence Day e Titanic”, recorda-se. O Cine Teatro também recebeu a atriz Fernanda Montenegro, que apresentou o monólogo Dona Doida e o ator Paulo Autran, com a peça Quadrante. (Agosto de 2013)

14-PORTAS ABERTAS
Ana Rita Petraroli Barretto mudou-se para Alphaville em 1989. Dos inúmeros pontos positivos de morar na comunidade, destaca “as portas abertas”. A seguir, explica: “chamamos os vizinhos pelo nome, realizamos comemorações em nossas praças e ainda temos, entre todas as casas modernas, o privilégio de morar num interior no centro. Após as boas-vindas da segurança na portaria e a cancela baixar, tenho a sensação de atravessarmos um portal mágico”. (Agosto de 2017)

15-PISTA DE COOPER
Localizada ao lado do muro do Residencial 1, com aproximadamente um quilômetro de extensão, há muitos anos a pista de cooper reúne diariamente centenas de moradores do bairro que estão em busca de um simples passeio ou caminhada ao ar livre, ou mesmo experientes atletas, ou grupos de corrida, que praticam a modalidade esportiva que se tornou febre nos últimos anos. Muitos também utilizam os inúmeros equipamentos gratuitos à disposição para a prática de exercícios. (Setembro de 2005)

16-A MELHOR OBRA DE TODAS
“A Construtora Albuquerque, Takaoka S.A. construiu centenas de apartamentos residenciais em São Paulo. Com excesso desse tipo de obra, fomos em busca de novos segmentos. Na década de 1970, a construtora adquiriu um gigantesco terreno dividido entre as cidades de Barueri e Santana de Parnaíba. Estávamos interessados em transformar o local em um polo totalmente industrial, no entanto, os rumos mudaram e enxergamos potencial de reunir em um só lugar empresas e projetos residenciais. Alphaville foi a melhor obra que fizemos. Ao entrarmos nos residenciais, a sensação de segurança e tranquilidade é uma das principais características do sucesso do bairro planejado”, destacou o administrador de empresas Roberto Albuquerque, irmão, de Renato Albuquerque, sócio de Yojiro Takaoka na construtora. (Setembro de 2012)

foto: Divulgação

17-ALPHAVILLE: DA SÉTIMA ARTE PARA A VIDA REAL
Na década de 1960, enquanto dois ex-colegas de faculdade, os engenheiros Renato Albuquerque e Yojiro Takaoka, administravam a Construtora Albuquerque, Takaoka S.A., construtora paulistana responsável por erguer pontes, construir viadutos e até casas populares, o cineasta francês Jean-Luc Godard rodava o filme Alphaville, lançado em 5 de maio de 1965. Na década de 1970, a dupla resolveu se aventurar na idealização, planejamento e construção de um distrito para indústrias não poluentes. Tal iniciativa chamou a atenção de Hewlett Packard (HP), que foi a primeira empresa a construir em um lote do bairro batizado de Alphaville, em homenagem ao filme, por sugestão do arquiteto José Almeida Pinto. (Agosto de 2017) 

18-SHOPPING CASTELLO
“Um dos meus primeiros empregos foi no shopping Castello, onde funcionam atualmente o Giga Atacado e a Telha Norte. A ideia inicial era manter lojas de fábricas de algumas marcas. Como o movimento era baixo, não funcionou. O tempo passou e o lugar tornou-se um pequeno shopping. Gastava parte de meu salário na inesquecível pista de kart. Quem viveu em Alphaville nessa época sente muita saudade”. Gabriel Terçarolli, empresário. (Agosto de 2013).

19-HISTÓRIAS DE FAMÍLIA
À frente de uma respeitada clínica que se tornou referência no atendimento pediátrico na região, o médico Augusto Pisati mora no bairro desde 1985. Por aqui, costuma admirar a facilidade de interação entre as pessoas. “Uma característica especial da comunidade é o inter-relacionamento das histórias e das famílias”, garante. (Agosto de 2017)

20-DEIXARAM SAUDADE
Alguns redutos gastronômicos tradicionais que marcaram época em Alphaville, e que fecharam suas portas, são lembrados com carinho por alguns moradores, como é o caso do Esplanada Grill. “Frequentei muito o restaurante. Lá encontrávamos os amigos e passávamos bons momentos. Em 1990, estava grávida de meu primeiro filho e, assistindo à TV em casa, aparece uma propaganda de cerveja. Não gosto de cerveja, mas naquele dia fiquei com vontade de provar. Já era tarde da noite e meu marido teve de sair para encontrar uma garrafa, e o único lugar em que ele conseguiu foi no Esplanada. Não vou esquecer jamais”, recorda-se a empresária Silvia Regina Rodrigues Go. O clima de nostalgia impera entre os moradores e frequentadores mais antigos do bairro ao recordarem nomes de casas como Tatini, La Rocca, La Buca Romana, Cantina Di Fatto, Almanara e Galeto’s (que hoje possuem unidades no Iguatemi Alphaville), KFC e Pizza Hut, que, na época, contou com a ilustre presença do ex-jogador de futebol Pelé no dia de sua inauguração. (Agosto de 2013)

21-PATRIMÔNIO DO BAIRRO
Robervaldo Soares da Silva, o famoso Robinho, trabalha há mais de duas décadas como engraxate no AlphaShopping. Responsável pelo polimento, limpeza e brilho dos sapatos de moradores e frequentadores do bairro, naquela época cuidava de quinhentos pares de sapatos por mês. (Setembro de 2006)

foto: Divulgação

22-POSTO TEXACO
“Localizado na esquina das Alamedas Rio Negro e Madeira, o primeiro posto de Alphaville foi inaugurado juntamente com o bairro. Quando foi instalado, existiam apenas um estande de vendas da construtora e muitos terrenos. Em 1986, quando eu era sócio, vendiamos 1,3 milhões de litros por mês. Era o posto urbano que mais vendia no Brasil”. Gustavo Godet Tomas, engenheiro civil. (Agosto de 2013)

23-SEGURANÇA ACIMA DE TUDO
Fundada em 1980, a AREA - Associação Residencial e Empresarial Alphaville é uma entidade que surgiu sem finalidade econômica e sem fins lucrativos, de natureza privada, com o propósito de promover a qualidade de vida dos associados prestando serviços complementares, além de atuar na ordenação da ocupação do Alphaville Centro Industrial e Empresarial para que o uso dos imóveis esteja conforme o regulamento. A partir de sua fundação, a AREA também é responsável pela operação dos serviços de limpeza e vigilância, conservação e manutenção dos taludes gramados e dos jardins. Desde 2013, a associação é presidida por Geraldo Michelotti. (Agosto de 2017)

24-REDONDO
“Nunca me esqueço do prédio em formato redondo, localizado na Alameda Araguaia. Por volta de 1983, comecei a frequentar aquela região, que também tinha o mercadinho Diplomata, a farmácia Patrícia e a lanchonete Alpha Burger, mais tarde uma churrascaria. Os anos se passaram e o tão famoso redondo foi loteado e deu lugar a um prédio empresarial, o Araguaia Plaza”. Bernadete Antunes, empresária e corretora de imóveis. (Agosto de 2013)

25-PASSEIO EM SÃO PAULO
Moradora de Alphaville há mais de trinta anos, uma doce memória que desperta o saudosismo na empresária Ana Paula Boralli Peres é o “Chimané”, um micro-ônibus gratuito que fazia o trajeto de Alphaville para o shopping Iguatemi São Paulo, na Av. Brigadeiro Faria Lima. “Para os adolescentes, era a solução. Naquela época, era muito difícil ir até São Paulo, principalmente sem os nossos pais”, ressaltou. (Agosto de 2017)

26-OUTBACK STEAKHOUSE
Com duas décadas de vida em Alphaville, a segunda casa da rede no Brasil foi inaugurada em dezembro de 1998 e pode ser considerada um verdadeiro case de sucesso. Além de oferecer cardápio variado, somado à descontração no atendimento e às instalações aconchegantes, o local vive lotado desde a inauguração. Em 2005, Viva S/A apurou que a unidade vendia cerca de 18 mil canecas de chope ao mês, além de 1.800 porções de bloomin’ onion, as famosas cebolas fritas à milanesa. Hoje, a rede possui 92 restaurantes no Brasil. (Setembro de 2005)

27-LEMBRANÇAS DE ALPHAVILLE
O que três empresários e moradores de Alphaville têm em comum? A saudade da infância vivenciada no bairro. Fernando Matos, João Luiz Ohannercian Júnior e Rômulo Fonseca Guimarães Filho guardam boas recordações. “Saía de casa, no Residencial 4, e caminhava, em meio à mata densa, ao encontro da cachoeirinha, atrás do Objetivo. Lá eu tomava um banho gelado”, diz Fernando. “Como não lembrar das festas de fim de ano do ATC, das matinês de Carnaval, das domingueiras do Muleka regadas a sorvete? Fica uma agradável lembrança de uma boa amizade, companheirismo, conceito de família, viver em comunidade, respeito, valores eternos que serão transmitidos aos nossos filhos”, afirma João. “Jamais me esqueço de um fato curioso que aconteceu em 1985. Naquele ano, teve um burburinho sobre a passagem do cometa Halley. Houve uma grande movimentação em Alphaville e muitas pessoas foram ao morro do Residencial 8 para tentar observar a passagem do cometa”, recorda-se Rômulo. (Agosto de 2013)

28-EDGE CITY
O conceito de “edge city” foi amplamente discutido pelo jornalista e escritor estadunidense Joel Garreau em seu livro Edge City - Life on the New Frontier (Edge City - Vida na Nova Fronteira). No início da década de 1990, Garreau já dizia na publicação que edge city foi uma solução urbanística encontrada para os tempos modernos em que “cidades” planejadas seriam construídas próximo às grandes metrópoles. Exatamente o que aconteceu em Alphaville a partir de 1974 com a chegada da multinacional de tecnologia da informação Hewlett Packard (HP). O projeto idealizado pela Construtora Albuquerque, Takaoka S.A. tornou Alphaville um polo comercial, residencial e econômico, consolidando um conceito de urbanismo sustentável que se espalhou pelos quatro cantos do País. (Agosto de 2017)

29-FESTAS EM CASA
Símbolo de desenvolvimento planejado, os condomínios residenciais de Alphaville ganharam fama nacional e internacional por oferecerem, em um só lugar, qualidade de vida, proximidade com a natureza e segurança. Dezenas de vezes as festas mais badaladas promovidas pela vizinhança foram destaque em nossas páginas e colunas sociais. Festas regadas a muitos brindes e sorrisos se tornaram marca registrada. É comum, principalmente nos fins de semana, familiares e amigos se reunirem para apreciar um bom churrasco ou pizza. Em dias quentes é a vez dos banhos de piscina. No frio, o jeito é optar por um fondue acompanhado por um bom vinho. (Agosto de 2017)

30-McDONALD’S
A publicitária Marcela Norcia jamais vai esquecer os bons tempos que viveu no bairro no finalzinho da década 1980. “Sou da primeira turma do curso de Publicidade e Propaganda da Unip Alphaville. Era 1989 quando chegou ao bairro o primeiro McDonald’s da região Oeste de São Paulo. Foi um verdadeiro acontecimento. A unidade ficava na Alameda Rio Negro, onde existe, atualmente, o empreendimento West Point. O atendimento era impecável, com equipe sorridente e muito ágil. A batata frita era o máximo. Não existia nada igual. Guardava até o guardanapo para colar em minha agenda”, recorda-se, aos risos. (Novembro de 2013)

31-PONTO DE ENCONTRO
Para a empresária Patricia Fernandes, moradora de Alphaville desde 1983, um local do bairro que deixou saudade ficava exatamente no Residencial 2. “Lembro com carinho da pedra da Avenida Brasil, no canteiro central. Na década de 1980, aquele local foi ponto de encontro do público jovem de Alphaville, que se reunia com suas motos e mobiletes para conversar, paquerar, namorar ou curtir o pôr-do-sol”. (Agosto de 2017)

32-PRIMEIROS MORADORES
Funcionário da Construtora  Albuquerque, Takaoka S.A, o engenheiro José Pinto Ferreira Netto acompanhou praticamente todas as etapas de desenvolvimento de Alphaville, onde mora desde 1976. Ferreirinha, como é conhecido no bairro, guarda boas memórias daquela época. Uma delas é a chegada da primeira família a construir e se mudar para o Residencial 1. “O primeiro morador foi o Sr. José Tibúrcio. Sua residência se tornou famosa na região, pois foi construída no formato de um castelo”. (Agosto de 2018)

33 SAUDADE DA PINGUELA
Javier Finch mudou-se para Alphaville em 1984. Guarda em sua memória um episódio que seria cômico, para não dizer trágico. “Há muitos anos, a região onde hoje é o Tamboré, era a porta de entrada para a garotada percorrer trilhas com suas motos. Por ali, havia uma subida de aproximadamente cem metros a 45 graus, chamada de pinguela. Era a atração entre os visitantes. Muita gente assistia aos tombos espetaculares. Naquela época eu não tinha moto e subi com minha bike nas costas. Nesse dia levei o maior tombo de minha vida. Sobrevivi e nunca contei aos meus pais a causa de tantas escoriações”. (Agosto de 2017)

foto: Divulgação

34-CHEGADA DAS PRIMEIRAS MÁQUINAS
No início da década de 1970, o gigantesco terreno de aproximadamente cinco milhões e meio de metros quadrados começava a receber os primeiros maquinários para as obras de terraplenagem a ser executadas pela Construtora Albuquerque, Takaoka S.A. Foram utilizados tratores jerico e D8, além de imponentes máquinas importadas Caterpillar modelos 621, 627 e 637. As primeiras obras do centro empresarial, para indústrias não poluentes, levaram cerca de dois anos para ficar prontas. Logo os engenheiros perceberam que os trabalhadores dessas empresas precisariam morar próximo à região. Pouco tempo depois, nascia o Residencial 1. (Setembro de 2008)

35-LEGADO PARA OS FILHOS
Moro em Alpahaville desde 1986. Lembro da inauguração da Blockbuster, com o show do Jorge Ben Jor. Depois teve a inesquecível apresentação dos Mamonas Assassinas. As Oktoberfest eram incríveis. Marcar encontro com os amigos na Hobby Vídeo e na La Ville também era muito comum. Espero que meus filhos cresçam e tenham boas lembranças de Alphaville, assim como eu tenho”. Roberta Boschini. (Agosto de 2017)

36-ALPHAVILLE TÊNIS CLUBE
“Eu era engenheiro da Construtora Albuquerque, Takaoka S.A. e acompanhei de perto o surgimento do Alphaville Tênis Clube (ATC). Com o rápido crescimento do primeiro residencial, havia necessidade de criar um espaço de lazer para os moradores. Assim, em setembro de 1976, nascia o ATC. Os destaques do clube eram a boate Muleka, que recebia muitos jovens de São Paulo aos sábados, e a pista de skate, considerada a primeira de São Paulo e a maior da América Latina”, destaca José Pinto Ferreira Netto. Dezenas de artistas e bandas se apresentaram no ATC: Roberto Carlos, The Mamas & The Papas, Billy Paul, Manolo Otero, Claudia Leitte, Capital Inicial e Jota Quest, entre muitos outros. Na festa de 42 anos do clube, no próximo dia 28 de setembro, será a vez da banda Titãs. Desde 1992, o ATC realiza o Inter Alphas, maior evento esportivo amador da região. Com a participação dos moradores dos residenciais, a competição tem como objetivo a integração da comunidade de Alphaville e região. (Agosto de 2013)

37-FESTAS JUNINAS
Não é de hoje que as concorridas festas juninas e julinas atraem os moradores e frequentadores do bairro, seja nos residenciais, nas paróquias, nas escolas ou no clube. Certa vez, até o cantor Sérgio Reis marcou presença numa das festas do Residencial 6 e gerou o maior burburinho. Já na festa do ATC, destaque para a barraca portuguesa comandada pelo empresário e vizinho Mário Lopes, um dos moradores mais antigos, que chegava a comercializar quatro mil bolinhos de bacalhau a cada edição. (Setembro de 2005)

38-JANTAR & NEGÓCIOS
Em junho de 2001, a Projeto Editora lançou em Alphaville a revista de variedades Viva S/A. Com distribuição mensal e gratuita, já nascemos com a maior tiragem do bairro e mantemos o posto até hoje. Marcas e empresas de prestígio sempre acreditaram em nosso propósito de impactar positivamente a vida e o dia a dia de nossos leitores. Nós amamos Alphaville, por isso, desde a produção e entrega do primeiro exemplar, toda a equipe está engajada em encontrar boas histórias, com fatos que possam inspirar e motivar o público. Apresentando um conteúdo sempre interessante, e com um time de colunistas incomparável, buscamos incessantemente propagar o que existe de melhor em Alphaville e região no que se refere a entretenimento, gastronomia, serviços, programas de lazer, cultura e educação (na revista e no guia Educação & Cia, único guia impresso dessa categoria de toda a região, encartado e distribuído anualmente em Viva S/A, que neste ano chega a sua 14ª edição). Ser parte integrante de uma comunidade atuante, exigente, qualificada, com alto poder de consumo e que, acima de tudo, também ama e admira o bairro onde vive, é maravilhoso. Nestes 17 anos, boas recordações não faltam dos eventos, palestras, campanhas solidárias, Rua de Lazer, noites de autógrafos, Jantar de Negócios e premiações. Viva, Alphaville.

foto: Divulgação

QUIZ - (Setembro de 2010)

39-DATA DA ASSINATURA DO CONTRATO

Os engenheiros Yojiro Takaoka e Renato Albuquerque assinaram, em 1973, o contrato de compra de cinco milhões e meio de metros quadrados da Fazenda Tamboré no dia em que um grande astro da música completava 38 anos:

a) 26 de julho, aniversário de Mick Jagger
b) 7 de novembro, aniversário de Johnny Rivers
c) 8 de janeiro, aniversário de Elvis Presley
d) 25 de março, aniversário de Elton John

40-VALOR DAS TERRAS
Os dois jovens engenheiros tinham a intenção de transformar as terras compradas pelo valor de trinta milhões de cruzeiros em:

a) Polo industrial de empresas não poluentes
b) Um bairro exclusivamente residencial
c) Um centro comercial
d) Uma área de preservação ambiental

41-PREFEITOS DA ÉPOCA
No ano em que Alphaville foi fundado, os prefeitos de Barueri e Santana de Parnaíba eram, respectivamente:

a) Arnaldo Rodrigues Bittencourt e Hidemi Kawamoto
b) Irani de Almeida e Antonio de Oliveira
c) Guilherme Guglielmo e Bruno Comenho
d) João Villalobo Quero e Gabriela Marques da Silva

42-EMPRESAS PIONEIRAS
Duas empresas foram pioneiras em Alphaville. Uma por comprar o lote número 1, e a outra por ter sido a primeira a se instalar na região. Que empresas foram essas?

a) Hewlett-Pakard (HP) e Babylândia
b) Videolar e C&A
c) Babylândia e Johnson & Johnson
d) C&A e Hewlett-Pakard (HP)

43-PRIMEIRO BEBÊ DO BAIRRO
Cristiano Baccelli, considerado o primeiro bebê de Alphaville, nasceu no ano de:

a) 1977
b) 1978
c) 1979
d) 1980

44-TV ALPHAVILLE
A TV Alphaville, atual Alpha Channel, atende mais de 20 mil residências em Alphaville. O primeiro programa produzido na emissora da região, em 1992, foi:

a) TJ Alpha
b) Cá Entre Nós
c) Conheça, com Paulo Espada
d) Cia de Viagem

45-MARGINAL PEDAGIADA
A Marginal Pedagiada da Rodovia Castello Branco foi inaugurada em que ano:

a) 1997
b) 2002
c) 2001
d) 2005

Respostas quiz
• Pergunta 39 - Resposta: C • Pergunta 42 - Resposta: A • Pergunta 44 - Resposta: A • Pergunta 40 - Resposta: A • Pergunta 43 - Resposta: B • Pergunta 45 - Resposta: C • Pergunta 41 - Resposta: C

Top 5