REPORTAGEM
28/06/2018    Por João Felipe Cândido
Nathalia Arcuri
Milionária aos 32 anos, a jornalista e criadora do Me Poupe!, maior e mais influente canal de finanças do mundo no YouTube, revela os segredos para você começar a poupar seu dinheiro e alcançar seus sonhos.
foto: Vanila Fotografia

No fim da tarde do último dia 24 de maio, Nathalia Arcuri protagonizou um dos maiores lançamentos de toda a história da Livraria Cultura, localizada no Conjunto Nacional, na Avenida Paulista. Mais de mil exemplares de seu livro Me Poupe! 10 Passos Para Nunca Mais Faltar Dinheiro no seu Bolso (Editora Sextante) foram comercializados em três horas. Poucos dias se passaram e a obra entrou no ranking de livros mais vendidos do País da revista Veja, do site Amazon e do jornal Folha de S.Paulo.

Filha de um engenheiro civil, “Seu Luiz” e de uma psicóloga e dona de casa, “Dona Neusa”, a paulistana tem mais duas irmãs e afirma nunca ter recebido mesada na infância, época em que começou a juntar os primeiros trocados para realizar o seu desejo de comprar um carro aos 18 anos. E não é que conseguiu? Na realidade teve a sorte de ganhar um automóvel de presente de sua tia, contemplada em um consórcio. 

Com o dinheiro que tinha em mãos (quase sete mil reais) resolveu investir em previdência privada. Anos mais tarde, comprou o seu apartamento à vista. “Comecei a estudar maneiras de multiplicar o meu dinheiro”, recorda-se. Mais de duas décadas depois, Nathalia tem certeza de que, naquela época em que começou a poupar de maneira compulsiva, havia começado a desenvolver uma das habilidades mais importantes para quem pretende enriquecer: a autodisciplina. “Não se nasce com autodisciplina. Aprende-se. Ela é a habilidade de se impor metas e não descansar enquanto não chegar ao resultado esperado”, revela.

O sucesso estrondoso da jovem que decidiu abrir mão de seu cargo de repórter na segunda maior emissora do País para empreender, mostra que isso deu certo. Tudo começou com um blog de finanças, na sequência, veio o canal do Me Poupe! no Youtube, em 2015. Em seu primeiro ano de existência, a plataforma de entretenimento financeiro faturou 250 mil reais. Em 2018, com um milhão e oitocentos mil inscritos e quase setenta milhões de visualizações (até o fechamento desta reportagem) o Me Poupe! estima alcançar dez milhões de reais em faturamento.

De Santa Cecília para o mundo
No bairro de Santa Cecília, na região central de São Paulo, é produzido o conteúdo do Me Poupe! . Hoje, 12 pessoas compõem a equipe da empresa. Cada episódio, com duração média de dez minutos, leva de 18h a 20h para ficar pronto - entre produção e edição. O que costuma chamar a atenção do público são os títulos dos vídeos como “Passei dos 30, e agora?”, “Odeio Planilhas”, “Poupança versus Tesouro Direto”. Grande parte de sua legião de seguidores afirma que costuma ficar diante da tela do computador ou celular numa espécie de maratona “Natflix”, pois os temas, muitas vezes espinhosos, ganham leveza e frescor com a simplicidade com que a jornalista os desmistifica, sempre com uma pitada de humor, sua marca registrada.

Jovem, bonita, bem-sucedida, rica (milionária, ops!) e sempre sorridente, Nathalia recebeu a reportagem da Viva S/A na sede do Me Poupe! com um caprichado café da manhã. Autêntica e sem rodeios, falou sobre os mais diversos temas. A seguir, os melhores momentos do encontro (com um bônus extra que apresenta algumas dicas da Nath para você repensar os seus hábitos).


foto: Vanila Fotografia - Todo conteúdo do Me Poupe! (site e canal no YouTube), é produzido por Nathalia e uma equipe de 12 pessoas

Definitivamente, o dinheiro traz ou não felicidade?
Depende. O dinheiro só vai trazer felicidade se você souber o que é felicidade para você. Temos de dar um significado ao dinheiro. As sensações é que são importantes. O dinheiro só traz felicidade quando sei qual é a sensação que desejo. Se eu gosto de viajar, preciso de dinheiro para viajar. Agora, se eu quero viajar e uso meu dinheiro para outras coisas, aí o dinheiro só se torna um acessório inútil. Muitas vezes, o maior inimigo das suas conquistas é você mesmo. Dinheiro traz felicidade desde que você saiba o que o faz feliz.

Qual foi a última coisa que você comprou e quanto pagou?
Foi o presente do Dia dos Namorados para meu marido: uma calça de duzentos e cinquenta reais. Cara, né? Foi muito cara (risos).

Hoje, com aumento das compras via internet, como as pessoas conseguem economizar?
Faça uma boa pesquisa na internet. Eu pesquiso tudo antes e só depois vou à loja física, pois é lá que podemos conseguir um preço melhor do que o apresentado nos sites. Aprendi a nunca perguntar se tem desconto, mas a dizer direto: “de quanto é o desconto?”. Quando não funciona, eu tenho uma arma secreta: “puxa, é a primeira vez que compro nesta loja, me dá um desconto para fidelizar a cliente". Saiba também controlar a ansiedade da compra. Aprenda ainda a usar o navegador no modo privado, para evitar assim que as promoções “cheguem até você”. Vale esperar as promoções da internet, a exemplo da Black Friday, que acontece em novembro.

De que forma você vê a Black Friday no Brasil?
A Black Friday já foi a “black fraude”. Hoje temos ferramentas para saber se aquele preço é de verdade. Para quem deseja comprar algo, vale a pena esperar a Black Friday para economizar.

Em um dos seus vídeos no Me Poupe! , você assumiu que só come meio Trident para economizar. Isso foi o ápice da sua economia?
Na época da escola, eu comprava um Trident, comia um e o resto ia embora. Se você está numa roda de amigos e oferece, pronto, acabou o chiclete.
Falei: “quer saber, de agora em diante vai só a metade”. Essa coisa do meio Trident surgiu porque eu não queria desperdiçar dinheiro. Eu pago o pacote inteiro e só recebo um? Será que não existe um jeito mais criativo e inteligente de eu fazer isso durar mais tempo? Se você quiser comer comigo, é metade do Trident. Fica até mais gostoso! (risos).

Não tem medo de ser taxada de muquirana?
O muquirana ou o mão-de-vaca poupa e guarda o dinheiro, mas não usufrui do dinheiro. Ser inteligente financeiramente virou sinônimo de ser muquirana. Não concordo com isso. Eu poupo, invisto meu dinheiro e uso todas essas alternativas criativas para poder fazer o que eu quero. Comprei meu carro, meu apartamento e viajo todos os anos à vista. Não sei em que momento isso pode ser muquirana. Eu apenas escolho como gastar. Por exemplo, nas minhas viagens internacionais, opto por voar na classe executiva. É um luxo que me dou de presente.

Preferencialmente usando milhas aéreas?
Sim, mas se não tiver o suficiente, pago a diferença. É o que eu falo sempre no livro e nos vídeos: não deixe que decidam por você. Eu escolho os luxos que fazem sentido para mim.

Mesmo tão jovem, ter comprado carro e apartamento à vista foi um bom negócio?
Foi, e muito. Até porque comprei um pouquinho antes do boom imobiliário. Meu apartamento custava 240 mil reais e paguei 190 mil reais por ele. Observei que, no prospecto do apartamento, o qual eu comprei na planta, havia escrito, com aquelas letrinhas bem miúdas, que a unidade do primeiro andar teria 15% de desconto à vista. Foram duas semanas de negociação e meu pai falando que eu era louca, que o risco era muito grande, que a imobiliária podia quebrar. Busquei o máximo de informação e sabia que era seguro. Não fazia sentido eu financiar e pagar juros por algo que podia saldar à vista, com desconto. Quando o apartamento foi entregue, já valia 580 mil reais, uma valorização tremenda.

Comprar um carro, vale a pena?
A grande questão é: no momento você pode ter um carro e arcar com todas as despesas? Cabe em seu orçamento? Muita gente quer ter carro e não faz as contas. Não é apenas a parcela mensal do financiamento. Tem de colocar na ponta do lápis o seguro, o IPVA, a mensalidade do estacionamento, combustível, manutenção, pedágio, depreciação...

Ter abandonado uma promissora carreira na TV para investir em um canal de YouTube foi um bom negócio?
Foi excelente em todos os sentidos, inclusive financeiramente. Só que o melhor de tudo é atuar em algo em que de fato eu acredito e amo. Ao mesmo tempo, dá muito trabalho também. Não é só aparecer no YouTube linda e sorridente. Buscamos novidades e estratégia o tempo todo. Não é só a questão técnica do investimento e do economizar, são anos de estudo para entender por que gastamos do jeito que gastamos. Como posso fazer as pessoas economizarem mais tornando isso algo prazeroso.

Como convencer uma pessoa ultraconservadora de que poupança não é um bom investimento?
Não existe melhor maneira de você provar do que usar os números e a informação. Não adianta simplesmente você falar: "poupança não serve”. Demonstramos, para quem acompanha o nosso conteúdo, por meio dos números - pois os números não mentem jamais -, que muita gente está fazendo besteira quando deixa o dinheiro na caderneta de poupança. Se a poupança é tão segura assim, por que será que foi o único investimento confiscado em toda a história do Brasil?

Seu curso online de finanças está em processo de produção. O que pode nos adiantar a respeito?
O Me Poupe! surgiu para despertar e provocar um novo olhar sobre as finanças. Passei a perceber que muita gente não dava o próximo passo. Por isso decidimos promover um curso voltado às pessoas que realmente desejam aprofundar os seus conhecimentos para investir sozinhas. Um curso 100% online, do qual vou participar ativamente também com aulas ao vivo, e serei mentora desses alunos durante o processo, que deve durar três meses.

Viajar é um grande investimento?
Depende. Para as pessoas que gostam muito de viajar, sim. Eu sempre gostei muito de viajar. Parte do meu dinheiro sempre foi planejado, poupado e investido pensando nas viagens. Tem muita gente que deixa de viajar porque acha que não está comprando nada de material. A experiência de viajar, para mim, vale muito mais do que dinheiro.

Entre as opções de investimento que há no mercado, em qual delas você não investiria?
Fundos de renda fixa são a maior furada que existe. Fuja deles e também da poupança. Não faz sentido você deixar seu dinheiro na poupança. Ela só rende no aniversário. Se você tirar seu dinheiro antes, perdeu todo o rendimento daquele mês inteiro. Rende menos que o tesouro Selic. Busque uma corretora de valores que não cobre taxa de administração para renda fixa. Existem várias sugestões lá no canal Me Poupe!.

Você é praticante do conceito japonês de wabi sabi. Aponte seus benefícios e como as pessoas podem colocá-lo em prática.
Sou obcecada pelo Japão. É meu segundo país de coração. Eles têm uma cultura muito forte, enraizada no valor, e não no preço. Como os japoneses são muito ligados ao valor, eles têm o hábito de comprar objetos que de fato têm qualidade. Hoje compro itens de boa qualidade que são feitos para durar. Não é porque lascou uma xícara que ela vai deixar de ter valor. A coisa do wabi sabi é ver a beleza na história dos objetos, e até mesmo das relações. Um exemplo: tenho uma bota que já foi para o sapateiro umas dez vezes. É isso, você reutilizar, saber o valor das coisas.

Como os pais podem contribuir com a orientação financeira dos seus filhos?
Dando bons exemplos, o que tem sido cada vez mais difícil de encontrar. É preciso mostrar para o seu filho que o dinheiro tem valor e que você não compra tudo o que vê pela frente para satisfazer a vontade dele. Tem gente que ensina o filho a mentir. Tem pai que fala assim: “não conta para sua mãe que eu comprei isso aqui". As crianças aprendem pelo exemplo e pelo não. Fui educada assim e sobrevivi. Era quase tudo não. Era “sim” para presente de Natal, aniversário e Dia das Crianças. A educação financeira nas escolas ainda é muito básica - quando existe. O tempo passa, a pessoa cresce e ouve no noticiário que a taxa Selic subiu. Sabe o que ela faz? Muda de canal. “Esse negócio de taxa Selic é coisa para economista, não para mim”. Só que, na hora em que essa pessoa for fazer um financiamento para a casa própria, por exemplo, vai precisar de informações sobre a Selic.

Já perdeu dinheiro em algum investimento?
Já perdi. Quebrei a cara. No meu primeiro investimento. Foi sem conhecimento nenhum e eu investi num fundo de renda variável; eu tinha uns 19 anos. Coloquei mil reais. Um ano depois eu tinha quinhentos reais. Quando você diversifica investimentos - eu, por exemplo, tenho investimento em fundo de ações, em fundos de multimercado, e esses fundos são voláteis. Eles são feitos para ser assim. No mês passado, um dos fundos caiu 11%. Mas, dois meses antes, tinha subido 6%. O importante é que o investimento esteja diversificado e pulverizado. Se possível, invista em renda fixa, renda variável, um pouquinho na previdência privada, bitcoins, criptomoedas e por aí vai.

Tem algum sonho de consumo?
Tenho. Hoje é poder morar afastada de São Paulo, trabalhar de lá da minha casa e vir esporadicamente para cá. Sem ter de pegar trânsito, preferencialmente de helicóptero (risos). Também quero poder viajar pelo menos quatro vezes por ano, sem me preocupar muito com as coisas, ver meus pais bem, poder cuidar deles. Esses são meus sonhos de consumo.

Quando realizar sua meta de acumular um patrimônio de cinco milhões de reais investidos, o que possibilitaria viver apenas de rendimentos, pretende se aposentar?
Não. Virei uma escrava do meu próprio trabalho (risos). Não vou parar de gerar conteúdo. Acho que vou diminuir o ritmo. Os últimos anos têm sido muito cansativos. Trabalho 15 horas por dia, inclusive em fins de semana. Quero poder trabalhar com mais tranquilidade.

Fale sobre o seu livro.
Falo um pouco da minha experiência. Peguei a história inteira da minha vida e pensei de que forma cada lição que eu tive poderia se traduzir em uma lição para quem estiver lendo. Eu abro o livro falando da dinheirofobia, e que doença é essa. Digo que o livro é um tratamento contra a dinheirofobia. É um livro muito consultivo, que fala para você também: "Ah, coloca aqui o quanto você ganhou. Coloca aqui o quanto você gastou. Escreve aqui quais são as suas metas.". É um guia mesmo. Se eu consegui ficar milionária trabalhando e empreendendo, outras pessoas irão conseguir também.

foto: Vanila Fotografia

AS DICAS DE OURO DA NATH PARA VOCÊ POUPAR JÁ
Nathalia criou o projeto do Me Poupe! para tornar a vida financeira mais divertida e bem menos complicada. “Enriquecer faz, sim, parte da vida e somente por meio da educação financeira é possível conquistar a liberdade. Isso precisa ser chato? Não! Ter dinheiro sobrando é bom, mas saber multiplicá-lo para realizar sonhos audaciosos é ainda melhor”, ressalta.

Em seu livro, Nathalia aborda a receita do sucesso financeiro 70/30, que consiste em destinar 70% dos seus rendimentos para viver o presente e 30% para o futuro. Sem esquecer a reserva de emergência (montante equivalente a seis meses de sua renda). 

10 HÁBITOS PARA ECONOMIZAR
Nathalia explica que poupar não é apenas deixar de gastar, é usar o dinheiro com mais inteligência e gastar menos em tudo o que for possível. A seguir, ela sugere dez hábitos que poderão nos inspirar. Não se esqueça: ter mais dinheiro está em suas mãos.

1 - Parar o carro na rua. Nas grandes cidades do Brasil, muita gente opta pelos estacionamentos pagos ou pelos caríssimos serviços de vallet. Já pago o seguro do carro, por isso prefiro parar na rua. Afinal, tenho o seguro para quê?

2 - Pesquisar muito antes de comprar. Eu esgoto todas as possibilidades: internet, brechó, o comércio popular, peço emprestado e, somente em último caso, eu acabo comprando. Roupa, por exemplo, só compro duas vezes ao ano.

3 - Usar o cartão de crédito que tenha programa de milhas e utilizá-las. Não faz sentido deixar que expirem.

4 - Pedir desconto sempre. Já reparou que as pessoas ricas sempre pechincham? Uma pergunta toda a vida me intrigou: elas são ricas porque pedem desconto ou pedem desconto porque são ricas?

5 - Dar banho no cachorro em casa.

6 - Fazer compras em mercados populares e deixar para comprar frutas e verduras na feira, e na hora da xepa.

7 - Cozinhar em casa. É muito, muito, muito, muito mais em conta.

8 - Negocie as tarifas bancárias e a anuidade do cartão de crédito. Sempre funciona.

9 - Não saia de casa sem uma lista de compras (e mantenha-se fiel a ela).

10 - Procure viajar fora de época. É sempre muito mais barato.

foto: Vanila Fotografia

Top 5