REPORTAGEM
28/04/2017    Por Marcela Goldstein
Pensando em empreender?
Confira histórias inspiradoras e dicas significativas de pessoas que, com muito foco e persistência, se planejaram e transformaram suas ideias em negócios de sucesso
foto: Divulgação

De 2009 para 2016 foram criados 12 milhões de empresas no Brasil, considerando que uma parcela migrou do mercado informal para o formal. Estudos mostram que, independentemente da conjuntura econômica do País, esses números só tendem a aumentar. “Uma coisa independe da outra. Ser um empreendedor é ver uma oportunidade onde ninguém mais vê, portanto não há como usar uma crise econômica como desculpa para não cair no mundão. Tem também o fator inovação. Retração não compactua com a etimologia de inovação, e é nessas horas que se faz necessário o surgimento de grandes soluções”, afirmam respectivamente Junior Borneli, cofundador do StartSe, e Gustavo Caetano, CEO da Samba Tech, em palestra sobre a importância da inovação em qualquer empreendimento. Com uma taxa de empreendedorismo inicial de 21%, os brasileiros superam os chineses em oito pontos porcentuais. A Índia e a África do Sul têm, respectivamente, 11% e 9%.

O porcentual de brasileiros que já possuem uma empresa, ou que estão envolvidos na criação de uma, é superior ao de países como os Estados Unidos e a Alemanha. Os dados são da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor 2015. Apoiado pelo Sebrae, e realizado pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade, o estudo detectou que o Brasil atingiu, nos dois últimos anos, uma das maiores taxas de empreendedorismo inicial de sua história. Pensando em empreender? Segundo pesquisa do Sebrae, ter seu próprio negócio é o terceiro sonho mais comum entre os brasileiros, atrás apenas da casa própria e viajar. Contudo, mais do que ter uma boa ideia e transformá-la em um negócio, empreender é fazer acontecer.

É possível empreender socialmente, a exemplo de alguns professores da rede pública que, ao criar um projeto extracurricular, geram valor à sociedade; ou um grupo de pessoas que criam ONGs e associações sem fins lucrativos, colocam em prática uma ideia com o objetivo de contribuir com o desenvolvimento social e sentem-se vocacionadas a cumprir essa missão. Também pode-se investir dentro do empreendimento de alguém. Ou seja, a mentalidade empreendedora não se limita aos donos de empresa, mas se estende aos colaboradores.

No chamado intraempreendedorismo, colaborar com o negócio, ter um bom salário e elevar o seu nome dentro da história da organização são objetivos tão importantes quanto ter a própria empresa. Portanto, o empreendedorismo pode ser considerado um estado de espírito baseado em um conjunto de comportamentos e atitudes em busca da evolução constante. Desta maneira, qualquer um pode empreender na carreira e na vida e transformar sonhos em realidade. Para este especial sobre empreendedorismo, que contou com a colaboração de Bel Pesce, a Viva S/A entrevistou 14 pessoas que compartilharam suas histórias e dicas de como transformaram, com muito foco e planejamento, seus sonhos em realidade. Inspire-se!

ENTRE DE CABEÇA

foto: Rodrigo Rodrigues

Rodrigo Barros, 36, é apaixonado por gente e por inovação, e vem decifrando o mindset das pessoas e dos ecossistemas mais inovadores do mundo para cumprir seu propósito maior de transformar sonhadores em realizadores. Agora em 2017, Rodrigo aceitou mais um desafio e ingressou na gestão pública, alinhado ao seu propósito de deixar um legado de transformação e execução. À frente da Secretaria de Desenvolvimento Científico, Econômico, Tecnológico e de Inovação de Guarulhos, em São Paulo, tem como proposta criar um ecossistema que sirva como plataforma de fomento à livre iniciativa, empreendedorismo, economia criativa e colaborativa. Em 2013, mudou-se para o Vale do Silício, na Califórnia, para especializar-se em inovação e desenvolvimento e fundou a HandsOnTV, uma plataforma vertical de empreendedorismo presente em mais de 130 países, que realiza, também, a principal competição de Startups da Europa, o HandsOn Startup Tour. Em agosto de 2016, lançou seu primeiro livro, intitulado
Versão Beta - Saiba como suas atitudes influenciam seus resultados e seu modelo mental (Enkla Editora), em que procurou desvendar e estruturar o modelo mental que rege os ambientes inovadores e os mais notáveis empreendedores da atualidade. Segundo o inovador, o segredo está no quanto você quer algo. “Não vai ser fácil, vai doer às vezes, mas certamente será transformador. Realizadores buscam todos os dias. Cada passo é uma evolução. Estão sempre dispostos a abrir mão de outras possibilidades em busca daquilo em que acreditam”, finaliza. @rodrigobarrostv

TRANSFORME UM PROBLEMA EM OPORTUNIDADE

Jordânia Pereira da Silva, 50, trabalhava como lavadeira no Vale do Sol, em Barueri. Todos os dias, porém, ao colocar as roupas para secar em seu quintal, se incomodava com as cinzas que caíam e sujavam as peças. Elas vinham de paletes de madeira que eram queimados em um terreno próximo de sua casa. Foi então que se uniu a 20 pessoas da comunidade que não encontravam oportunidades no mercado formal, e, com o apoio técnico da Fundação Alphaville, criou a Cooperativa Unindo Forças, que transforma paletes em móveis e peças decorativas. Dez anos depois, com geração de renda média mensal de mil e duzentos reais para os cooperados, a Unindo Forças desenvolveu uma parceria com a Tok & Stok, que revende seus móveis nas lojas em todo o País. “Solucionamos o problema dando destino mais sustentável e criativo para o material que era descartado, e melhoramos nossa qualidade de vida”, conta a líder comunitária. @cooperativaunindoforcas

UNA SUA EQUIPE EM TORNO DO MESMO OBJETIVO

Tallis Gomes, 30, montou seu primeiro negócio digital aos 14 anos, no qual comprava e vendia celulares utilizando uma plataforma de marketplace. Quando surgiram os celulares com câmera, começou a revender os aparelhos ofertados no Mercado Livre com uma margem de lucro de 25%. Em 2011 fundou a multipremiada Easy Taxi - aplicativo gratuito que conecta passageiros a motoristas. O empreendedor liderou por mais de quatro anos a empresa que, durante sua gestão, foi considerada a maior em serviços mobile da história, presente em 32 países, 162 cidades e quatro continentes. Sua mais recente empreitada é a Singu. Lançada em 2015, a plataforma funciona como salão de beleza delivery e entrega beleza, bem-estar e comodidade nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. “Está no DNA da empresa ser parceira de profissionais de beleza que são empreendedoras e precisam de auxílio para se conectar com o maior número de clientes possível. A plataforma se tornou uma excelente alternativa para quem quer, além de flexibilidade na rotina, aumentar sua renda e a liquidez do seu negócio”, afirma. @singubr

SEJA PERSISTENTE

foto: Divulgação

A cantora Elisa Gatti, 31, começou a compor aos quatro anos. Formada em administração de empresas, sempre sonhou em seguir a carreira artística, mas acabou enveredando para a publicidade e propaganda. Paralelamente, a artista, que sempre gostou de compor canções para presentear amigos em ocasiões importantes, decidiu que poderia transformar sua paixão em negócio. Persistente, em 2015, em sociedade com a advogada Sofia Sofner, 40, criou a Músicas Personalizadas, com sede em Aldeia da Serra, onde ambas moram. “A pessoa conta sua história e criamos uma música única, original para marcar momentos especiais como casamentos, bodas, aniversários”, explica Sofia, responsável pelo atendimento. A empreitada deu tão certo que já produziram músicas para grandes marcas, como Mercedes-Benz. Elisa, que fez o site da empresa sozinha em dois dias, acredita que o meio digital permite que os empreendedores testem antes, sem precisar investir muito. “Persista, sinta a demanda, corrija os erros, e, se necessário faça de novo até dar certo”, aconselha. @musicaspersonalizadas

SEJA APAIXONADO PELO SEU PROPÓSITO

O morador de Alphaville Miguel Cavalcanti, 39, herdou o amor pela pecuária de sua família, que está nessa atividade há mais de 100 anos. Agrônomo por formação, viu em 2011, no BeefPoint - portal online do ramo, uma oportunidade de transmitir para outras pessoas a paixão que tem pelo assunto. E deu certo! Se tornou um ponto de encontro e de conhecimento da cadeia produtiva da pecuária brasileira que une profissionais do ramo e trata a pecuária não somente a partir das técnicas de produção, mas com estudos de mercado e tendências da área. Em 2012, o também palestrante reuniu tudo o que aprendeu e fundou o Agrotalento - método online sobre produtividade, gestão de pessoas, persuasão e vendas. Outra empreitada é a Universidade BeefPoint, criada no ano passado. “O objetivo é nos tornarmos o departamento de treinamento da fazenda de gado de corte brasileira. Temos mais de 200 aulas em vídeo disponíveis. Nossa meta é chegar ao final do ano com quatro mil alunos ativos”, finaliza o empreendedor. @beefpoint

ESQUEÇA O GLAMOUR

foto: Nick Saker e Henrique Alen

Com sede de empreender, Bel Pesce, 29, encontrou na tecnologia e na educação a maneira de ajudar as pessoas a desenvolverem suas melhores habilidades. A Menina do Vale (Enkla Editora) – título de seu livro que teve milhões de downloads na internet e se tornou praticamente seu codinome - estudou no MIT - Massachusetts Institute of Technology, nos Estados Unidos e foi eleita, em 2014, 2015 e 2016, um dos dez líderes mais admirados do Brasil. Considerada por muitos como especialista em empreendedorismo, Bel afirma que o tema é muito mistificado e romantizado. “É maravilhoso poder impactar a vida das pessoas positivamente - mas isso vem com muito trabalho, esforço e dedicação, ou seja, com zero glamour”, diz. Atualmente, a empresária está à frente de seis negócios: a FazINOVA, escola cuja missão é inovar a forma como as pessoas pensam, aprendem e agem em direção aos seus objetivos; a Enkla Editora; a Agência Figurinhas; a startup BeDream; a plataforma Coolrious e o aplicativo Insprd. Segundo a empreendedora, existem três pilares importantes a se pensar antes de iniciar uma empresa: proposta de valor, distribuição e engajamento. Quanto à proposta de valor, temos de pensar: O que o mundo perde sem o nosso produto? Qual é o real valor que você pode passar para as pessoas com o seu projeto? Quando falamos de distribuição: Como você vai chegar às pessoas para que elas experimentem a sua oferta? E, por fim, o engajamento: Depois que impactar o seu cliente, como vai mantê-lo usando esse produto ou serviço? Se não tivermos a clareza de que são necessárias respostas para esses parâmetros, todos os outros fundamentos da empresa, como, por exemplo, o quesito financeiro, pode ser mais difícil de ser desenhado de forma sustentável”, explica. @fazinova

MANTENHA OS PÉS NO CHÃO

foto: Divulgação

Luis Marins, 68, é antropólogo, escritor, professor e consultor de empresas no Brasil e no exterior. Inovador, em 1984 fundou a Anthropos Consulting, primeira empresa no mundo de Antropologia Empresarial, que realiza análise concreta da realidade do mercado e oferece uma visão antropológica do que realmente motiva o indivíduo a ser mais inovador, criativo e comprometido com o sucesso e produtividade em uma organização. Desde que foi criada, mais de 500 empresas passaram pela consultoria. Autor de 30 livros que abordam temas como vendas, motivação, sucesso e encantamento de clientes - disponíveis em diversos países - , o empresário também é considerado um dos palestrantes mais requisitados do País. Em alguns dos seus mais de 500 videocursos e centenas de artigos, o consultor afirma que sucesso não é só chegar ao topo da escada, mas é ter a coragem de tentar a subida, de empreender, de dar o melhor de si por uma causa que leve as outras pessoas a ser mais felizes e a sociedade melhor. Para Marins, empreendedor é aquele que transforma sonhos em ações, e ações em resultados. “O empreendedor precisa ter os pés fincados no chão. Conhecer com humildade seu potencial financeiro e técnico e tomar cuidado para não se autoenganar achando que será fácil e rápido. Para apresentar sucesso, qualquer empreendimento leva cerca de dez anos de muita luta e muito trabalho. Claro, existem exceções, mas serão sempre exceções”, adverte. @professor_marins


SE RECICLE CONSTANTEMENTE

foto: Marco Máximo

A publicitária Tatyane Luncah, 36, é sócia-diretora do Grupo Projeto 10 em 1, que traz soluções inovadoras na área de comunicação, organização de eventos corporativos, catering e marketing promocional. O Grupo, que comemora 16 anos, combina ações que vão do live marketing ao digital, combinando ideias e estratégias de um jeito exclusivo. A moradora de Alphaville, que batalhou para consolidar o conceito 10 em 1 no mercado, teve seu trabalho pioneiro reconhecido pela ADVB – Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing no Brasil em 2014 e 2015. Em Dicas Inspiradoras, seu canal do Youtube, compartilha histórias, dicas e entrevistas sobre empreendedorismo. Tatyane não para de se reciclar. No ano passado, fez uma especialização em liderança e inovação na Universidade de Ohio, Estados Unidos, e um curso de autoconhecimento com Tony Robbins, renomado coach americano, que treinou Nelson Mandela e a princesa Diana. “O empreendedor não pode parar de se atualizar nunca. Assim como os advogados estudam as leis e os médicos os tratamentos, é preciso se preparar, se desenvolver, adquirir novas habilidades e competências na sua área”, afirma a empresária. @grupoprojeto10em1

BUSQUE APOIO

A publicitária Ana Lúcia Fontes, 50, é fundadora e “faz-tudo” na RME - Rede Mulher Empreendedora, primeira e maior rede de apoio ao empreendedorismo feminino do Brasil com mais de 300 mil participantes, com sede em São Paulo. “Em 2007, após trabalhar quase 20 anos em uma multinacional, resolvi pedir demissão para reorganizar minha história de vida e, principalmente, ter mais tempo com minhas filhas. Meu primeiro negócio foi o Elogieaki, um site de elogios. Tive inúmeras dificuldades com ele e decidi dividi-las com outras empreendedoras para que pudessem aprender com meus erros. Foi assim que nasceu a RME, com o propósito de empoderar empreendedoras, garantindo independência financeira e de decisão sobre seus negócios e suas vidas”, conta. Sempre trabalhando para que a causa do empreendedorismo feminino seja, de verdade, contemplada nos objetivos das empresas, pessoas e instituições, Ana aconselha as mulheres que querem empreender a buscar apoio por meio de um mentor e a participar de grupos de empreendedorismo - a própria RME tem grupos em todos os Estados do País. @rede_mulher_empreendedora

OPTE POR ALGO QUE REFLITA SEUS VALORES

Formado em Educação Física, André Bucater, 33, é apaixonado por ciclismo e pelo meio ambiente. Em 2012, o morador de Alphaville, decidiu vender seu carro e utilizar apenas sua bicicleta como meio de transporte. Dois anos depois, o ciclista, que sempre sonhou empreender em algo que causasse impacto positivo, teve a ideia de abrir uma empresa de bike courier. Em 2016, nasceu a BemBike, especializada em entregas rápidas e serviços externos como pagamentos em banco, reconhecimento de firma e autenticações em cartório e delivery para restaurantes nos bairros de Alphaville e Tamboré. “Como a região concentra grandes centros comerciais e empresariais, identifiquei que o modelo de negócio tinha potencial”, conta André. “Nosso combustível é o arroz e feijão. Não emitimos poluentes, melhoramos o trânsito, reduzimos a poluição sonora e trazemos mais qualidade de vida para o nosso bairro”, explica. @bembike
SONHE GRANDE

foto: Divulgação

Fundadora da Magic Clean, rede de lavanderias em Osasco e Carapicuíba, Tatiane Lobato, 40, começou com um simples tanquinho. Em seguida, comprou uma máquina de lavar doméstica e, só quando sentiu que daria conta, abriu outros postos de coleta. Criada pela avó dos seis aos 11 anos, com quem aprendeu a lavar, passar e costurar muito bem, começou a trabalhar aos 13 em uma barraca de pastel. Aos 17, já era vendedora em lojas de shopping. Foi então que, em 2006, ao procurar uma lavanderia para lavar o vestido que pegou emprestado de uma amiga - apesar de saber bem como fazer - e para sua surpresa, não encontrou nenhuma no bairro. Pediu demissão, fez um empréstimo no banco e iniciou o seu negócio. “Todo projeto começa com um sonho. Eu tenho o sonho de ser grande e oferecer mais facilidades para mais clientes que deixam essa tarefa conosco. Assim, eles ganham mais tempo para fazer o que realmente importa em suas vidas”, declara a empreendedora. @RedeMagicCleanLavanderia

NÃO ENCONTRE DESCULPAS

foto: Divulgação

O médico psquiatra Roberto Shinyahiski, 65, conhecido como o “palestrante que dá resultado”, construiu sua história ajudando pessoas a alcançar sucesso pessoal e profissional. Autor de 23 best-sellers, em 1984 fundou a Editora Gente, voltada para três linhas editoriais: autoajuda, educação e gestão. Com MBA e doutorado em Administração de Empresas pela FEA/USP e especialização no Japão, sua experiência na presidência da Editora Gente, Editora Única, Saga Digital e Instituto Gente lhe dá os conhecimentos e habilidades de quem vive a realidade do mundo dos negócios. Segundo o especilista em qualidade de vida e motivação, para obter um resultado diferente da maioria, deve-se deixar de lado o comodismo. “Não se compare à maioria, pois, infelizmente, ela não é modelo de sucesso. Se você quiser atingir uma meta especial, estude no horário em que os outros estão tomando chope com batatas fritas. Planeje, enquanto os outros permanecem à frente da televisão. Trabalhe, enquanto tomam sol à beira da piscina. Quem quer fazer alguma coisa encontra um meio; quem não quer fazer nada encontra uma desculpa”, afirma o psiquiatra. @rshinyashiki

SEJA DIFERENTE DO QUE JÁ EXISTE

foto: Guilherme Licurgo

Há 20 anos, a paulistana Cristiana Arcangeli identificou que cuidar do corpo, da saúde e da mente se tornaria uma tendência mundial, e hoje é uma das mulheres que mais influenciaram e contribuíram para o desenvolvimento desse segmento no Brasil. Exemplo de iniciativa, inovação e sucesso, a empreendedora serial criou a Phytoervas - primeira linha de produtos sem sal para cabelo com embalanges inovadoras; a Phytá, primeira perfumaria nos moldes internacionais do Brasil; a PH Arcangeli - primeira distribuidora de marcas de cosméticos internacionais do País e a Éh, primeira linha de cosméticos orgânicos do Brasil. Atualmente, a apresentadora do programa Shark Tank, no canal Sony, é CEO na Beauty’in, especializada em alimentos com propriedades cosméticas e sócia dos Sorvetes Naked, produto 100% natural, feito apenas com água de coco e pedaços de frutas. O segredo? “Em primeiro lugar, é preciso saber se a ideia é realmente consistente e financeiramente viável. Segundo, se é diferente do que já existe. Evite mais do mesmo para não ter dificuldade de emplacar o empreendimento ante a concorrência. E, por fim, procure criar serviços que resolvam problemas ou produtos inovadores”, revela Cris. @crisarcangeli

ADMINISTRE SEU TEMPO

Somando sua experiência de 20 anos em empresas de auditoria e consultoria como a Ernst Young, e ministrando cursos de pós-graduação, o paranaense Leandro de Jesus, 39, idealizou um projeto de produtividade unindo experiência, inovação, metodologia, melhores práticas de mercado, focado em micro e pequenas empresas. Há 7 anos, criou a Core Consultivo, empresa de consultoria estratégica em produtividade e alta performance para diferentes mercados e segmentos, com sede em São Paulo e uma unidade em Alphaville. “O diferencial do nosso projeto de produtividade está no sucesso que as empresas alcançam após a sua implementação. Com o retorno e aumento das vendas e na redução dos custos, a consultoria tem sua remuneração na base do success free (êxito)” explica o consultor. Com o lema “empreender para crescer com as empresas”, a consultoria, segundo Leandro, assessora os empreendedores para que se tornem cada vez mais produtivos e eficientes, visto que, ao aproveitarem melhor seu tempo, seus recursos e seus talentos, tornam-se mais eficientes em qualquer tarefa que venham a desempenhar. @coresonsultivo

O FORTALECIMENTO DO EMPREENDEDORISMO

foto: Divulgação

Em entrevista exclusiva para a Viva S/A, Bruno Caetano, 38, diretor superintendente do Sebrae-SP - Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de São Paulo, faz um panorama sobre o cenário do País para quem quer empreender.

Qual o perfil do empreendedor brasileiro?
Atualmente, as micro e pequenas empresas (MPEs) são
mais de 90% do total de empresas brasileiras, respondem por 54% dos empregos formais do País e 44,1% da massa salarial, e representam 27% do PIB. São 11,5 milhões de empreendimentos optantes pelo regime simplificado de tributação, o Simples Nacional. Entre os novos empreendimentos, aqueles com até três anos e meio de vida, 51% são de homens, e 49% de mulheres. Na maioria, 52%, pertencem à classe C; 37,5% às classes A e B; e 7,3%, às D e E. Uma pesquisa da Global Entrepreneurship Monitor (GEM) mostra que a proporção de empreendedores por necessidade aumentou de 29% em 2014 para 44% em 2015, enquanto os empreendedores por oportunidade caíram de 71% para 56% no mesmo período. Este é um sinal de que a deterioração do cenário econômico mudou a motivação para empreender nos últimos anos. E o empreendimento por necessidade é muito mais vulnerável, pois surge no desespero e sem a preparação adequada.

Como definiria o cenário atual do País para quem deseja empreender?
O cenário é de cautela. A recessão econômica causou muitos estragos e seu impacto ainda vai ser sentido por um bom tempo. Porém, há sinais de que a situação pode estar melhorando. As duas pesquisas mais recentes do Sebrae-SP mostram que, após 23 meses de queda, o faturamento das MPEs aumentou 3,9% em janeiro e 7,6% em dezembro de 2016, na comparação com iguais meses de anos anteriores. Ainda é cedo para dizer se estamos no caminho de uma retomada; é preciso aguardar, mas é importante ressaltar que nesses meses o faturamento não piorou, como vinha acontecendo.

Muitas empresas no Brasil acabam abrindo e fechando as portas em menos de um ano. Por quê?
Os principais problemas de quem empreende no Brasil são a falta de planejamento prévio, falha na gestão e o comportamento empreendedor, ou seja, o empreendedor não está preparado para tocar um negócio. Somado a isso, tem o fato de que os dois primeiros anos são os mais críticos para a sobrevivência das empresas.

Quais são os principais recursos oferecidos pelo Sebrae para quem quer empreender?
O Sebrae oferece uma vasta gama de cursos, programas e consultorias para capacitar o empreendedor ou futuro empreendedor. Temos escritórios distribuídos por todo o Estado de São Paulo, a fim de assessorar o empresário a exercer sua atividade com qualidade. Caso tenha dúvidas, ele pode nos procurar e receber nosso portfólio de soluções nas áreas de finanças, jurídica, marketing, gestão e outras, seja para iniciar o negócio, seja para seu desenvolvimento e crescimento.

Quais são os principais desafios dos empreendedores?
Acredito que o principal desafio seja a qualificação. Não basta ter vontade e entender do ramo de negócio. O empreendedor precisa ser um bom gestor, pois isso é decisivo para sobrevivência da empresa.

Quais dicas daria para quem quer começar um novo negócio?
Planejamento. Sem isso, a chance de sucesso é muito pequena. O empreendedor deve estudar o mercado, a concorrência, saber quais são os pontos fortes e fracos da sua empresa, correr apenas riscos calculados e se preparar. O planejamento não é importante apenas para abrir a empresa, mas é vital para cada etapa do negócio, seja para promover correções ou para favorecer o crescimento.

Top 5