REPORTAGEM
01/04/2019   
Faça as pazes com a balança
"Ninguém emagrece com as emoções em desequilíbrio, é preciso entender que bem-estar é a nova riqueza!" - Lucilia Diniz
foto: Marcelo Cruz

Lucilia Diniz é alguém em quem se inspirar. Ela ensina muita coisa só com sua história de vida, e ama partilhar o que aprendeu. Com 38 anos, decidiu dar uma guinada na vida, que ia mal em vários setores. Em dois anos, perdeu 60 kg. Generosa, não guardou segredo sobre o emagrecimento e começou a espalhar, nos meios de comunicação, dicas preciosas de como ficar em paz com o próprio corpo. E não parou por aí. A caçula da família que fundou o Grupo Pão de Açúcar criou a própria linha de alimentos light, a Goodlight, que depois ganhou fôlego nos supermercados do grupo como Taeq. Para chegar aos 62 anos em forma, ela faz 12 km de caminhada por dia, não deixa de ser feliz à mesa, mas tem muita informação sobre o que pode comer a cada dia. Aliás, ela batalha para dar informações corretas sobre o que é de fato alimentação saudável. Em 2006, cursou Nutrição e Dietética na Universidade de Cádiz (Espanha).

Além de empresária e escritora, Lucilia é youtuber, palestrante e consultora de alimentação. Avessa à palavra regime, que sempre remete a pequenas porções, sacrifícios e privações, ela prefere incentivar a melhora na qualidade das refeições. “Ao aprimorar os hábitos alimentares, você tende a eliminar os quilos indesejáveis.”

Algumas pesquisas apontam para o fato de que, quando você come bem, tem mais vontade de se movimentar. Logo que começou a emagrecer, Lucilia só conseguia fazer caminhadas, porque o sobrepeso dificultava a musculação. Caminhar já era um sufoco. Quando atingiu o peso ideal, fez cirurgias para retirar o excesso de pele e partiu para a musculação, a fim de tonificar o corpo. Hoje, faz parte de sua rotina, além da caminhada em ritmo acelerado, a manutenção de uma refeição colorida, pois as cores indicam os diferentes nutrientes dos alimentos, e equilibrada, sem exagero nas porções.

Lucilia aponta o açúcar e a gordura como os principais vilões na alimentação. Defende mais verduras, fibras e variedade no prato. Em seus livros e redes sociais, ela quer influenciar o brasileiro com receitas que podem ajudar bastante as pessoas a lidar com a compulsão alimentar. Tem receitas como o doce de abóbora zero, chips de abobrinha, torta de morango light ou suflê de goiabada light, que são uma delícia e não deixam peso na consciência. Ela é cheia de dicas e inovações que até podem por de escanteio o famoso pão com manteiga que tanto faz sucesso no café da manhã. Ousada, sugere que, no lugar da manteiga, usemos o tomate rallado (prato espanhol), que é um ótimo substituto para passar no pão no café da manhã, por exemplo. Muito melhor e mais saudável que manteiga. O que ela ensina, geralmente, é prático e fácil de fazer, sem ter de passar horas na cozinha. Nessa linha do gostoso, porém saudável, faz parte do leque de receitas da Lucilia a musse de claras, pura proteína para quem quer dar uma aliviada no carboidrato. A quem pensa em fazer loucuras para emagrecer do dia para a noite, porém a especialista em vida saudável avisa que as verduras podem ser consumidas à vontade, mas é muito importante fazer uma dieta balanceada, incluindo todos os grupos alimentares.

O pulo do gato
Foi depois de amargar muito sofrimento, por causa do sobrepeso, que a ‘Midas light’ tomou a decisão de transformar seu corpo. “Eu dizia que era feliz, mas uma pessoa que, por excesso de peso, não podia se sentar no chão para brincar com seus filhos, não poderia ser feliz de verdade. Ser a gordinha da família era motivo de bullying generalizado.

E, em vez de receber apoio para superar minhas dificuldades, o que ganhava eram críticas. Isso não ajuda ninguém, ofende e machuca. Mas pode ser usado como um estímulo para enxergar o que realmente queremos. É preciso mudar para sobreviver”. Entre suas frustrações de Lucilia, nos anos 1990, o corpo era a maior. “Percebi que ter o controle sobre o corpo era o caminho para as grandes mudanças em minha vida. Autoestima é uma válvula de escape impressionante. Ao reconquistá-la, me senti mais forte para enfrentar qualquer obstáculo. E foi exatamente isso que aconteceu”, ensina. “Médicos, nutricionistas, spas… foram muitas etapas até perceber que emagrecer não era somente uma questão de saúde. Mas, sobretudo, de atitude. Foi nesse momento que o tal ‘pulo do gato’ aconteceu; eu me olhei no espelho e percebi que poderia ser muito mais do que estava refletido ali. Para isso, precisei de muita determinação. É ela que me move até hoje. Descrevo como uma sensação de liberdade!” No entanto, ela avisa: “não é fácil dar o primeiro passo, mas, se for feito com reflexão, determinação e informação, certamente o caminho de superação será mais tranquilo, realista e estimulante.”

foto: Lili Ferraz

Nossa conversa com a Lucilia

Como foi sua guinada para uma vida mais saudável?
Foi lenta e consistente, vivendo um dia de cada vez! Foram quase dois anos para perder 60 kg, sem cirurgia, e chegar ao peso que mantenho até hoje. Não dava mais para cometer os erros de sempre: remédios, passar fome ou me privar daquilo que gostava, como, por exemplo, meu pão francês toda manhã. Então, resolvi primeiro cortar aquilo que não prestava: açúcar, fritura e os excessos todos, e acrescentar variedade no meu prato, tipo hortaliças, verduras, sopas etc. , além de movimento na minha vida! Não havia, na época, a quantidade de informação disponível hoje em dia; e produtos prontos de baixas calorias, então, nem pensar! Se eu quisesse ter uma maionese light, tinha de pesquisar como fazer. Estudava a molécula da maionese e descobria que acrescentar água e dar nela um choque térmico a fazia encorpar novamente! A Internet ainda engatinhava, mas eu buscava minhas fontes por conta própria. E devorava revistas nacionais e importadas. Sempre fui curiosa, inquieta, e de pesquisar muito! E foi assim que eu acabei desenvolvendo meu lado de “Midas light”, que, para mim, significa transformar boas receitas em pratos de baixas calorias, com o meu toque. Hábito que acabou virando um grande negócio, porque fui precursora na abertura do mercado de produtos diet, light e orgânicos. 

Quem a inspirou para começar a dieta?
Ninguém! O que me inspirava era a possibilidade de ter uma vida melhor! Não tinha energia para nada, fumava três maços e meio de cigarros por dia, estava terminando meu terceiro casamento... me sentia um fracasso em todas as áreas da vida! Eu me olhava no espelho e dizia: “não é possível que você queira viver assim o resto da vida”! Precisava mudar, só não sabia como. Então comecei pelo corpo, que era a parte mais evidente de que havia algo de errado. Deixava o tênis do lado da esteira e caminhava nela até de camisola! Passei a incorporar novos hábitos à minha rotina e a me impor regras, como, por exemplo, assistir à novela somente caminhando na esteira. 

Quais foram os principais momentos dessa história de superação?
Não digo os principais momentos, mas, se há algo do qual me orgulho foi ter contribuído para mudar a cultura das pessoas em relação à alimentação. As novas gerações não acompanharam minha história, o quanto fui pioneira nesse movimento que vemos hoje, de as pessoas falarem entusiasticamente sobre alimentação saudável. Quando eu comecei, há mais de 20 anos, não existiam blogs, mídias sociais, influenciadores da Internet, nada disso! Quem quisesse ser uma voz, dependia da disposição das revistas em abrir espaço. Tanto que eu me considero uma espécie de tia madrinha de todas essas blogueiras que existem por aí! Porque, quando eu comecei, ninguém pensava em granola, quinoa, nada disso; achavam que era comida de passarinho! Todo mundo torcia o nariz para alimentos tidos como esquisitos. Às vezes, para fazer charme, as pessoas até comiam o light em público, mas depois se empanturravam de besteiras dentro de casa e ainda botavam a culpa no adoçante, que não emagrecia coisa nenhuma (rs)!  Hoje, vejo que há interesse real em questionar a alimentação! Nos EUA, o número de pessoas que segue uma filosofia alimentar qualquer (vegetariana, orgânica, low carb, glúten free...) aumentou de 14% para 36% no ano passado. No Rio de Janeiro, segundo pesquisa feita em dezembro de 2018, a principal resolução de fim de ano apontada pelos cariocas para 2019 era “comer melhor”. Isso mostra uma mudança profunda de comportamento, o que me deixa muito feliz.

Quais são os principais alimentos que uma pessoa deve comer?
Eu defendo que as pessoas devem comer de tudo, contanto que incorporem variedade no prato. O que deu certo comigo foi dividir meu dia em cinco cotas de carboidrato (arroz, macarrão ou pão), cinco de proteínas (carne, frango, peixe, frutos do mar, ovos e queijo), três de gorduras (azeite e manteiga), três de frutas e duas de leite (leite e iogurte). E também comer legumes e hortaliças à vontade. Como ninguém é de ferro, ainda me dava ao direito de cometer cinco deslizes por semana: um brigadeiro, uma dose de vinho, uma empadinha... coisas assim. Não precisa excluir do cardápio tudo o que mais lhe agrada. A ideia é que comece a praticar trocas vantajosas.

Quais alimentos ajudam a manter o peso?
Embora eu tenha meus hábitos pessoais, como comer tomate e cenoura antes de tomar sol, brincar com um cravo na boca para melhorar a concentração, temperar tudo com pimenta para acelerar o metabolismo, sou contra pregar benefícios funcionais dos alimentos. Ainda que todos tenham seus nutrientes que fazem bem à saúde, não existe essa história de lata de espinafre do Popeye! A quantidade de uvas com casca, por exemplo, que deveríamos consumir para nos beneficiar do resveratrol no combate aos radicais livres é absurdamente irreal! Sem falar que uva é calórica para caramba! O importante é comer fibras, repor o cálcio por meio do leite, tirar energia do carboidrato, incorporar variedade no prato para equilibrarmos todos os nutrientes, vitaminas e sais minerais, enfim, as mesmas coisas que sempre fizemos, mas com equilíbrio.
É verdade ou mito dizer que existem alimentos bons para cada parte do corpo, como nozes para o funcionamento do cérebro, cenoura para os olhos...? Sempre haverá pesquisas indicando “verdades” como estas, mas não é o tipo de mensagem que eu prego. A verdadeira alimentação saudável é descomplicada, não tem segredo. Essa maneira de transmitir conhecimentos sobre alimentação saudável gera mais ansiedade do que esclarecimentos. Nesses anos todos, já vi muitos alimentos bonzinhos se tornar bandidos – margarina, por exemplo - e vice-versa, como é o caso do ovo que foi reabilitado.

Quais são os principais vilões na alimentação?
Açúcar, frutose na forma de xarope de milho, fritura em imersão, gordura trans, excesso de qualquer tipo de gordura e carboidrato refinado, além do álcool, claro. 

Quais são as principais dificuldades na hora de fazer uma dieta, entre a decisão e a realização do regime alimentar?
A principal dificuldade é querer emagrecer para ontem, para caber no vestido ou brilhar no verão em duas semanas. É preciso mudar essa mentalidade! Nossa meta deve ser a mesma dos 43% dos cariocas que elegeram o “se alimentar melhor” como a resolução número 1 para 2019. Hoje as pessoas já sabem o que é melhor para elas, há muita informação disponível; basta dar o primeiro passo. Mais importante do que perder peso é incorporar novos hábitos, saudáveis claro, e que possam ser levados para toda vida!

Quais as principais barreiras a transpor para realmente fazer uma mudança de hábito firme e duradoura? A principal é cuidar da cabeça! Ninguém emagrece com as emoções em desequilíbrio. É preciso entender que bem-estar é a nova riqueza! E rico não é quem tem mais, mas quem precisa de menos! Há um ensinamento budista que diz “medite 20 minutos por dia, a não ser que você seja muito ocupado. Neste caso, medite por 1 hora!” (rs) E este é o primeiro passo.

UM DIA DA DIETA QUE MUDOU A VIDA DA LUCILIA

CAFÉ DA MANHÃ
• 1 pão francês
• 2 colheres (chá) de manteiga light
• 3 fatias de peito de peru
• Café
• Suco de tomate feito
• em casa

LANCHE DA MANHÃ
• 1 pote de iogurte desnatado
• 1 gelatina

ALMOÇO
• Salada verde
• 2 colheres (sopa) de arroz
• 50g de almôndega com molho de tomate
• Purê de couve-flor
• 1 fatia de melão

LANCHE DA TARDE ÀS 15H
• 1 pote de iogurte desnatado
• Gelatina

LANCHE ÀS 19H
• 1 prato de sopa de legumes
• Aperitivos de soja (edamame)

JANTAR
• Salada verde com molho de iogurte, limão e hortelã
• Macarrão com legumes
• Doce de abóbora light

LANCHE DA NOITE
• 3 fatias de pão integral light
• 2 colheres (chá) de manteiga light
• 3 fatias de peito de peru
• 1 fatia de melancia

ANTES DE DORMIR
• 1 prato de sopa de legumes

A VIVA S/A ESCOLHEU ALGUMAS RECEITAS PARA VOCÊ!

foto: Marcelo Cruz

Molho de Tomate Rallado Catalão
Ingredientes:
3 tomates ralados
2 dentes de alho picados
10 gotas de tabasco
2 colheres (sopa) de suco de limão
Sal a gosto
2 mini baguetes (pode utilizar torradas)

Modo de preparo:
Misture o limão, sal e alho em um bowl. Em seguida, rale o tomate no lado grosso do ralador. 
Misture gentilmente com os demais ingredientes. Sirva com pão ou torradas.

foto: Marcelo Cruz

Chips de Abobrinha
Ingredientes:
1 abobrinha cortada em fatias finas 
1 batata cortada em fatias finas
Sal grosso triturado a gosto 

Modo de fazer:
Deixe a batata de molho em água com gelo por 15 minutos. Forre o prato do micro-ondas com papel próprio para ir ao forno (tipo Assa Fácil). 
Nele, disponha a batata escorrida temperada com sal grosso. 
Cozinhe na potência alta por 8 minutos, virando na metade do tempo.
Repita o procedimento com a abobrinha. Transfira a abobrinha e a batata para uma fôrma antiaderente.
Leve ao forno baixo preaquecido por 10 minutos.

foto: Marcelo Cruz

Doce de Abóbora Zero
Ingredientes: 
300 gramas de abóbora cortada em cubos 
1 talo de canela 
6 dentes de cravo
4 colheres (sopa) de adoçante light
1 litro de água
1 colher de sopa de cal virgem

Modo de Preparo:
Deixe de molho os cubos de abóbora no cal virgem com água por 20 minutos.
Coloque um litro de água numa panela junto com o adoçante, canela e cravo. 
Deixe ferver.
Junte os cubos de abóbora nesta calda e deixe cozinhar por 40 minutos ou até o ponto desejado

foto: Divulgação

Paella de Legumes
Ingredientes
1 xícara (chá) de arroz arbóreo
600 ml de caldo de legumes
1 xícara (chá) de mix de cogumelos
1 berinjela picada
2 tomates sem pele, sem sementes
1 cebola roxa
1 pimentão amarelo assado
1 pimentão vermelho assado
½ xícara (chá) de tomates-cereja assados
1 pimenta dedo de moça picada
8 vagens cozidas
3 dentes de alho picados
1 colher (chá) de páprica defumada
2 colheres (sopa) de azeite
Açafrão, sal e Tabasco a gosto

Modo de preparo
Em uma panela, coloque o azeite e refogue o alho e ½ cebola roxa picada.
Junte a berinjela, os cogumelos, os tomates picados e o arroz arbóreo.
Acrescente o caldo de legumes aos poucos.
Tempere com a páprica, o sal e acrescente mais um pouco do caldo de legumes.
Adicione ervilhas, pimenta dedo de moça, ½ cebola roxa cortada em meia-lua e pimentão amarelo.
Tempere com Tabasco a gosto.
Tampe e deixe cozinhar por 15 a 20 minutos.
Retire do fogo.
Decore com tomate-cereja, vagem, pimentão vermelho e amarelo.
Sirva em seguida.

foto: Divulgação

Torta de Limão sem farinha
Ingredientes
Para a massa
100 g de sementes de girassol
100 g de nozes
100 g de castanha-do-pará
150 g de tâmaras

Para o recheio
2 xícaras (chá) de abacate
2 colheres (sopa) de adoçante culinário
1 colher (sopa) de óleo de coco extra virgem
Suco de 1 limão
1 colher (sopa) de raspas de limão

Modo de preparo
No liquidificador, bata as sementes, nozes e tâmaras.
Disponha esta massa em uma forma desmontável forrada com papel-manteiga.
Aperte com as costas de uma colher.
Leve para gelar até endurecer por cerca de 40 minutos.
Para o recheio, bata o abacate, o adoçante, o óleo de coco, as raspas e o suco de limão até formar um creme.
Coloque o creme sobre a massa e a leve para gelar.
Na hora de servir, retire a torta do aro e decore com raspas de limão.

foto: Divulgação

Arroz de Pato
Ingredientes
2 colheres (sopa) de azeite
4 dentes de alho amassados
1 cebola grande
½ pato cortado em pedaços
2 colheres (sopa) de pimentão amarelo
2 colheres (sopa) de pimentão vermelho
1 pimenta dedo de moça picada
1 colher (chá) de chimichurri
1 ramo de tomilho
½ xícara (chá) de vinho branco
1 l de água
1 xícara (chá) de arroz
Chips de linguiça calabresa a gosto
Cebolete (cebolinha francesa) a gosto
Sal a gosto

Modo de preparo
Na panela de pressão, refogue 2 dentes de alho e ½ cebola em 1 colher de azeite.
Junte o pato.
Acrescente os pimentões, pimenta dedo de moça, chimichurri e tomilho.
Tempere com sal a gosto.
Adicione o vinho branco e a água e mexa bem.
Tampe e deixe cozinhar por 25 minutos na pressão.
Em outra panela, refogue o restante do alho e cebola no azeite.
Acrescente o arroz e coloque o caldo do cozimento do pato.
Desfie a carne do pato e junte ao arroz e misture bem.
Tampe e deixe cozinhar até ficar no ponto desejado.
Decore as porções com chips de linguiça, pimenta dedo de moça e cebolete.
Sirva em seguida.

Top 5