Articulista
Roberto Shinyashiki
Carreira e Relacionamento
Roberto Shinyashiki
Psiquiatra, escritor e conferencista
30/12/2016
Descubra como se sair bem nas entrevistas de emprego
É preciso ser confiante, mas nunca arrogante. Lembrese que o recrutador busca um resolvedor de problemas
foto: Divulgação

Com muitas empresas enxugando o quadro de funcionários e mais postos de trabalho sendo fechados por causa do atual momento que o Brasil atravessa, os profissionais que estão em busca de recolocação encontram dificuldades até mesmo para conseguir uma entrevista de emprego. Quando os candidatos são chamados para uma conversa com o recrutador, precisam encarar o momento como uma grande oportunidade. Estar preparado pode ser fator determinante para a conquista da tão sonhada vaga.

Apesar de o momento ser de muita tensão e expectativa, vejo que muitas pessoas ficam estressadas durante a entrevista de emprego, porque estão sempre pensando que precisam ser perfeitas, não podem cometer erros, têm de saber responder a tudo e precisam ter uma atitude impecável. Mas é preciso tomar muito cuidado, porque essa busca pela perfeição acaba levando o candidato a um estresse e a uma ansiedade exagerados e desnecessários.

Na hora da entrevista, o profissional deve ter em mente que o recrutador ou entrevistador só tem uma preocupação: contratar uma pessoa que resolva algum problema da empresa. Por isso, é muito importante que o candidato esteja muito bem preparado, estude, busque informações sobre a empresa da qual participará do processo de seleção e concentre todos os esforços para mostrar que é um profissional capaz de ajudar. Quando focamos a atenção no outro, tiramos a angústia. Eu costumo sempre traçar um paralelo dessa situação com a turbulência no avião. Se a pessoa ficar quieta olhando para dentro de si, ficará ansiosa, estressada e preocupada. Mas, se houver alguém ao lado que precise dela, só o ato de ajudar fará com que se esqueça de si mesma e relaxe. Dessa forma, o medo diminui e até pode passar.

Outro momento em que o candidato deve ter bastante atenção é na hora de se comunicar com o entrevistador para não passar a imagem de uma pessoa arrogante. A pessoa arrogante só fala de si, enquanto a confiante discorre sobre o outro durante a maior parte do tempo. A pessoa arrogante não se comunica. Já a pessoa confiante cria vínculos por meio do olhar. Quem é arrogante não se importa com o seu interlocutor, fala sem prestar atenção na pergunta, na expressão facial e na postura corporal do outro. A pessoa confiante sabe se impor. É muito importante que o profissional entenda quais são essas diferenças para ter um bom desempenho na hora da entrevista. Acredite em si e dedique-se às oportunidades da vida.

Neste livro, o autor ensina a ajudar de verdade a pessoa a quem se ama. Para Roberto Shinyashiki, o segredo de qualquer bom relacionamento, seja familiar, social, profissional ou mesmo conjugal, é ajudar as pessoas a se considerarem importantes. Sentir-se amado significa sentir-se realmente importante para alguém, e esse reconhecimento é o que o autor chama de carícia.

Livro: A Carícia Essencial - Viva bem com as pessoas que você ama
Autor: Roberto Shinyashiki
Editora: Gente
Preço: R$ 29,90

Outras Matérias
Outros Articulistas
Junho 2018
Me Poupe! Quem é e o que pensa a jovem jornalista Nathalia Arcuri