Articulista
Roberto Shinyashiki
Carreira e Relacionamento
Roberto Shinyashiki
Psiquiatra, escritor e conferencista
30/03/2017
Dê atenção à bandeira certa!
Saber eleger as prioridades evitará que você gaste energia com assuntos perdidos ou sem tanta importância
foto: Divulgação

Noto que muitas pessoas - pode ser um pai, empresário, profissional liberal ou palestrante profissional -, quando vão ministrar palestras, cuidar dos negócios ou da sua equipe, geralmente misturam tudo. Não elegem os assuntos por ordem de importância e acabam falando de tudo. Resultado: o ouvinte não aprende nada. Se você lembrar da última conversa que teve com seu pai, talvez ele tenha dito que você precisava ter tempo para curtir a família, que devia fazer um curso, que tinha de ser mais organizado no trabalho. Enfim, uma bagunça com vários assuntos, e no final não ficou
nada. É fundamental saber o que é importante, o que é perdido e o que é acessório, secundário, e focar no que realmente interessa. Quando há alguma catástrofe, com centenas de feridos, socorristas amadores vão atendendo os primeiros que veem pela frente. Assim acabam cuidando de
pacientes que não estão gravemente feridos e deixam de lado pessoas que teriam chance de sobrevivência. Quando a cidade está preparada para uma calamidade, os enfermeiros saem em meio aos feridos com tiras de tecido em três cores: preto, amarelo e verde. As "bandeiras" coloridas servem para que os médicos não corram o risco de perder horas cuidando dos feridos logo à sua frente, sem estabelecer prioridade de atendimento. Na catástrofe, há pessoas que já estão muito comprometidas, com lesões sérias. Estes ganham uma bandeira preta, que significa que é pouco provável que sobrevivam. Outros pacientes estão com ferimentos de menor gravidade. São os que levam bandeira verde. E os casos que precisam de atenção urgente, porque têm chances de sobreviver, recebem faixa amarela. Desta forma, os médicos dão atenção primeiramente para quem está marcado com a cor amarela. Depois se dirigem aos que estão sinalizados com a cor preta, e só então vão atender os que estão com a bandeira verde. Assim como nesse exemplo, há assuntos na sua vida que são “bandeira preta”, ou seja, você está gastando tempo tentando fazê-los sobreviver e ele já está
praticamente morto. O que você tem de fazer? Tirar isso da sua frente. A prioridade são as “bandeiras amarelas”. Ao conversar com seus filhos ou com a sua equipe, há temas que, naquele momento, são bandeira preta, não adianta ser discutidos. Já outros são “probleminhas” que podem ser tratados amanhã. Diferencie o que é bandeira verde, preta e amarela e foque seu tempo e sua energia na bandeira amarela. Isso vai definir não só o seu sucesso como a sua felicidade.

Outras Matérias
Outros Articulistas
Março 2017
Atrás do que estamos correndo?