Articulista
Luiz Marins
Empreendedorismo
Luiz Marins
Antropólogo, consultor de empresas, escritor e apresentador de TV
14/12/2017
Neste fim de ano, agradeça
Agradeça a seus principais clientes e fornecedores e aos pequenos prestadores de serviços
Foto: Divulgação

Seja você cristão ou não, aproveite o espírito de Natal e agradeça. Se acredita, agradeça a Deus por estar vivo, ter saúde, pertencer a uma família, ter amigos, ter emprego, possuir bens (poucos ou muitos).

Se você não acredita em Deus, agradeça assim mesmo. Agradeça a sua liberdade e tudo o mais de que se lembrar. Pense no que muitas pessoas não têm e no que já possui, sejam bens materiais e não materiais. Um exemplo de um bem não material que devemos agradecer não somente nesta data, mas todos os dias, é a nossa saúde. Faltou saúde, parece que falta tudo mesmo, falta o chão. Portanto, comece sendo grato por isso: se pode respirar, se locomover com facilidade, se não tem nenhuma restrição e é capaz de ir e vir à hora que quiser e bem entender. São grandes motivos a agradecer.

Na empresa, lembre do ano que passou e telefone para seus principais clientes e fornecedores. Agradeça-os e aproveite para pedir desculpas por alguma coisa que não tenha saído tão bem nesse período. Ligue também para as pessoas simples que prestam pequenos serviços. Agradeça também a elas, pois nem sempre são lembradas. Internamente, faça com que as pessoas saiam de suas salas e agradeçam umas às outras. Isso fará o espírito de Natal se irradiar por toda a empresa de forma menos material, menos mercantil e mais humana. É tempo de agradecer.

E também é tempo de renascer. Esse é o principal espírito do Natal. A ideia é que deixemos morrer a velha pessoa que existe em nós e façamos renascer uma pessoa nova, melhor, mais ética, humilde, afável, polida, mais honesta, mais preocupada com os menos favorecidos. Agora é tempo de fazer renascer em nós aquela pessoa que sabemos que devemos e que desejamos ser.

Aproveite a virada do ano para pôr em prática essa pessoa que renasceu no Natal. Entre em 2018 com novo vigor, com planos que não sejam somente os financeiros, ou apenas as promessas de perder peso, largar algum hábito ou vício. Inclua nas suas metas para o novo ano também mudar algumas crenças dentro de você.

Um bom começo é se perdoar. Conheço pessoas que vivem atormentadas pelos erros do passado, sobre os quais não têm poder; que são incapazes de pedir perdão e, pior ainda, as que não se perdoam. O perdão tem um poder maravilhoso. Sem perdoar a si mesmas e aos outros, e sem serem capazes de pedir perdão, essas pessoas vivem com um peso nas costas e na consciência que muitas vezes não podem suportar. Não comece o ano novo dessa maneira.

Há gente que, vive presa ao passado, não consegue ver o futuro com esperança e alegria. Essa desesperança, muitas vezes, contagia familiares e amigos, criando um círculo vicioso de tristeza e mais desesperança que se retroalimenta pela culpa por possíveis erros cometidos no passado.

Errar é humano, e mesmo os mais santos cometem erros. Se não houvesse o erro, não haveria necessidade do perdão. O perdão existe exatamente porque somos imperfeitos e erramos. Quem vive preso e se culpando pelos erros do passado, precisa vencer esse falso orgulho, pois talvez não se perdoe porque se acreditava incapaz de errar. Então, faça como fazem as pessoas equilibradas, sensatas e humildes: perdoe-se. Peça perdão e siga em frente, acreditando e pisando fundo.

Assim, este tempo de Natal e Réveillon é muito especial. O mundo inteiro faz uma pausa para pensar em valores, em coisas que não são transitórias, no que é permanente. O mundo inteiro dá uma parada para pensar mais na família, nos amigos, na saúde, na fé, na esperança, enfim, nas coisas essenciais da vida. Pare agora e comece essa reflexão você também.

Neste Natal, agradeça, perdoe e renasça. Você merece! O mundo merece!

Pense nisso. Sucesso! Feliz Natal!

Outras Matérias
Outros Articulistas
Outubro 2018
LEROY MERLIN - Aqui você encontra tudo para transformar a sua casa