Articulista
Luiz Marins
Empreendedorismo
Luiz Marins
Antropólogo, consultor de empresas, escritor e apresentador de TV
01/04/2019
Pare e pergunte: o que eu penso sobre isso que estou vendo?

Nos dias de hoje, com as redes sociais bombando e nos mandando informação a cada segundo, e com o quase universal vício de não se desgrudar do smartphone para ver a última postagem, as pessoas têm de tomar redobrado cuidado para não ser vítimas do “efeito manada” - termo utilizado para descrever situações em que um grupo de indivíduos reage de maneira semelhante, mesmo que de forma irracional, apenas por causa da pressão exercida pelo grupo.

Daniel Kahneman, Prêmio Nobel de Economia (2002) e outros psicólogos e economistas comportamentais chamam a atenção para esse “efeito manada” nos investimentos financeiros, no sucesso ou fracasso de empresas e pessoas e, principalmente, na internet, quando retransmitimos e até postamos informações, sem pensar se realmente concordamos com o que estamos enviando. Como bois numa boiada, seguimos o bando sem saber para onde estamos indo.

Esse “efeito manada” pode ter consequências graves para a nossa vida pessoal e profissional.

Será que não estamos sendo levados a agir por impulso, sem tempo para pensar e decidir por nós mesmos? Será que não estamos tomando decisões emocionais, em vez de racionais, e nos prejudicando a cada momento? Não podemos nos iludir com falsos líderes, que nos colocam na linha de frente da batalha sem que eles próprios se comprometam. Temos de tomar cuidado para não sermos levados a pensar e agir pela opinião da imprensa, de blogueiros, de youtubers, de quem pouco conhecemos a formação e os objetivos.

Assim, ao recebermos uma informação, temos de parar e pensar: o que será que eu realmente penso sobre isso? Qual é a minha opinião? Estou pensando livremente ou sendo manipulado? O que pode estar por trás disso tudo e que não sei? Devo acreditar? Devo repassar?
Pense nisso:
• Você tem o hábito de ler, com atenção e cuidado, as mensagens que recebe, antes de repassá-las a outras pessoas?
• Você tem o hábito de checar as fontes, isto é, de onde vem e quem escreveu aquela mensagem?
• Você costuma pensar o que pode estar por trás daquela crítica dura demais em relação a uma pessoa?
• Você tem o hábito de se perguntar: será mesmo verdade tudo isso?
• Você tem consciência de que poderá estar cometendo um crime ao repassar notícias falsas sobre alguma pessoa ou empresa?
• Você pensa por você mesmo, ou é uma presa fácil para manipuladores?
• Quando recebe alguma mensagem, você tem o hábito de se perguntar, antes de "entrar no automático": o que eu realmente penso sobre isso?

foto: Divulgação

DICA DO MÊS:
A rapidez da mudança e o ciclo de vida curto dos produtos geram uma instabilidade que hoje tem de ser compreendida como parte integrante de nosso cotidiano. Vivemos um constante rompimento com o passado, com a linguagem, com conceitos e modos com que fazemos as coisas. A obra ensina a compreender que hoje não é o maior quem vence o menor, e sim, o mais ágil é quem vence o mais lento.

Título: Só Não Erra Quem Não Faz: E Outros Temas Ilustrados Para Fazer Pensar
Autor: Luiz Marins
Editora: Integrare
Preço: R$ 49

*Preços pesquisados em fevereiro de 2019

Outras Matérias
Outros Articulistas
Agosto 2019
À frente de seu tempo - Entrevista exclusiva, José Salibi Neto