Articulista
Cristiana Arcangeli
Marketing & Inovação
Cristiana Arcangeli
Empresária, consultora de beleza e escritora
27/07/2018
Façanhas do Marketing: Por que e como usar

Eu adoro marketing e tenho muito orgulho de ocupar a 21ª cadeira da Academia Brasileira de Marketing (Abramark), dentre apenas duas mulheres. Infelizmente, ainda há pessoas que veem o marketing de forma pejorativa. Aliás, foi justamente por isso que a Abramark foi criada, para acabar com o preconceito e com as falácias de que marketing é enganação.

O marketing me encanta porque, por seu intermédio, eu posso mostrar meus produtos aos consumidores de forma diferente, inusitada, rápida e variada. Isso serve para todos os segmentos e para todo o mercado.

Existe o marketing no ponto de venda, o digital, no seu material de vendas, na hora em que você faz um grande evento, ou quando você conta para a imprensa sobre a sua inovação ou sobre o seu negócio. O grande segredo é você saber falar a mesma coisa, mas de várias formas, para atrair mais consumidores.

Vou compartilhar aqui uma dica valiosa que sempre dou para as pessoas que procuram pela minha mentoria: o primeiro passo para fazer um marketing eficaz é entender quais os pontos positivos do seu negócio e o que você quer que o seu consumidor entenda do que você faz. Assim, você poderá construir seu branding, ou seja, todos os aspectos que você vê sobre aquela marca ou aquele produto.

Gosto de citar como exemplo a Beauty’in, empresa que estou desenvolvendo no momento. Atualmente, essa é a única linha de colágeno do mercado, mas nem por isso eu posso deixar de trabalhar o marketing, para mostrar meu diferencial e atingir clientes. O público-alvo dessa marca são mulheres de vinte a cinquenta anos, que estão preocupadas com beleza, bem-estar e cuidados com a pele. É para elas que eu vou direcionar e definir as minhas campanhas, as cores que vou usar, como e que tipos de ações de marketing eu vou fazer para atingir esse público.

Há duas formas de fazer essas ações. A primeira delas é por meio de publicidade tradicional, que é muito legal e funciona, mas, às vezes, pode ser um tiro de canhão para matar uma formiguinha lá do outro lado. Fazer uma publicidade no Jornal Nacional, por exemplo, é maravilhoso, né?! Vai atingir o país inteiro! É também aí que está o problema. O custo para fazer uma publicidade desse tipo é altíssimo para um nicho tão específico como o da Beauty’in. Se o seu público for variado, tudo bem, valerá a pena; se não; você jogará fora 70% do valor investido fazendo essa campanha! São milhões investidos em televisão, em revistas, em outdoors, etc., para que as pessoas cheguem ao ponto de venda e reconheçam seu produto.

A segunda forma, e a ideal para o caso citado, é escolher uma ação e uma promoção no ponto de venda. Essa é a melhor saída, não só para quem trabalha com nichos específicos, como para aqueles que estão começando um negócio e têm pouco dinheiro para gastar com publicidade. Faça uma promoção para o seu público no ponto de venda na hora da decisão de compra, porque compra de produtos como alimentos e cosméticos, por exemplo, são feitas por impulso, no momento que a pessoa está no local.

Se você tiver no seu negócio um produto de compra programada, saiba que a publicidade deve vir antes do ponto de venda, porque a pessoa já sai de casa programada para comprar aquilo. Identifique onde deve ser o seu marketing.

Deixa eu lhe contar um segredo: se você não investir em marketing, o seu negócio não vai crescer. Se você quer escalar o negócio, se quer crescer, quanto mais barulho você fizer, maior será a sua venda. Há milhares de ferramentas e coisas bacanas para usar em marketing. Use essas e crie as suas, porque ninguém melhor do que você para conhecer o seu propósito, o seu conceito, o seu produto e o seu público. Tenho certeza de que todos nós somos capazes de criar nossas próprias ferramentas e caminho. E, quanto mais inovador o marketing for, mais eficaz ele será.

Outras Matérias
Outros Articulistas
Setembro 2018
Receitas de Vizinhos