Articulista
Cristiana Arcangeli
Moda & Beleza
Cristiana Arcangeli
Empresária, consultora de beleza e escritora
26/05/2017
Empoderamento feminino
Censo revela que 40% dos lares brasileiros são comandados por mulheres
foto: Divulgação

Empoderamento feminino, por definição, é equiparar o gênero em todas as atividades sociais e econômicas, impulsionar os negócios e melhorar a qualidade de vida de mulheres. O Brasil registrou diminuição de diferença de rendimentos entre gêneros. Segundo o IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estátistica, em dez anos, mulheres tiveram aumento de salário de 12%, enquanto homens passaram a ganhar 7,9% a mais.

O País assiste hoje a um notável crescimento profissional da mulher brasileira, seja por meio do próprio negócio ou de uma atividade com carteira assinada. O aumento da participação feminina na economia nacional vem corrigindo distorções históricas, como as desigualdades salariais entre os gêneros.

Dados do último censo do IBGE revelam também que cerca de 40,9% das mulheres contribuem para a renda das famílias do País. Ainda de acordo com o Instituto, que elaborou o estudo Estatísticas de Gênero, as mulheres chefiavam 24,9% dos 44,8 milhões de domicílios particulares. 38,7% dos 57,3 milhões de domicílios registrados já eram comandados por mulheres.

Segundo a Secretaria de Políticas para as Mulheres - SPM, do Ministério da Justiça e Cidadania, em mais de 42% desses lares a mulher vive com os filhos, sem marido ou companheiro. Nesse cenário de dificuldades e desafios, elas conquistaram muito, mas é preciso avançar mais, pois as desigualdades ainda são grandes.

Sonhe e realize
Chefes de família ou solteiras, as mulheres também estão se destacando no empreendedorismo, com aumento significativo da participação no segmento.

O Anuário das Mulheres Empreendedoras eTrabalhadoras em Micro e Pequenas Empresas, editado pelo Sebrae - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro
e Pequenas Empresas, registra crescimento da mulher empreendedora nas cinco regiões do País, entre 2002 e 2012. De acordo com o estudo, o Norte lidera, com uma expansão de 78% do número de empreendedoras, seguido por Centro-Oeste (36%), Sul (21%), Nordeste (12%) e Sudeste (10%). O relatório do Sebrae também demonstra a capacidade de inovação da mulher. O documento reporta que 34% das mulheres que têm empresa trabalham em casa, número cinco vezes maior do que os empreendedores homens, na casa dos 6%.

Empreenda. Na época da crise é que surgem novas oportunidades. Antes de qualquer coisa, tenha coragem e esteja preparada para as dificuldades e os famosos “baldes de água fria”. Esteja convicta do seu projeto. Faça planejamento, canalize suas ideias e expertises de maneira que tenha conhecimento do negócio que pretende montar. Além de gostar, ame o que irá fazer!

Para quem possui um capital, as franquias são um caminho interessante. Quem não dispõe deste, talvez deva pensar em algo para trabalhar em casa que não precise de grande investimento e nem gere custos fixos altos. O segredo é a conciliação de tempo entre o trabalho e a família, para que não se perca neste novo momento. Após transformar sua ideia em negócio, pesquise bastante, procure apoio como o do Sebrae e mentorias, que será de grande ajuda.

O poder feminino vem se mostrando fortalecido e à frente dos negócios, pois as mulheres são capazes de realizar diversas funções e desempenhar várias tarefas ao mesmo tempo; são líderes democráticas, dão atenção aos detalhes e sempre buscam resultados ágeis.

Outras Matérias
Outros Articulistas
Maio 2018
25° Especial Mercado Imobiliário - O momento é agora!