Articulista
Bel Pesce
O Futuro que já existe
Bel Pesce

Empreendedora e Fundadora da FazInova

27/10/2017
Profissionais de Ponta Cabeça
O sucesso da Família Lima foi com muito esforço, contando moedinhas
foto: Youtube Caderninho da Bel

Sempre gostei de programas de entrevistas, mas mais do que perguntas e respostas, eu queria fazer algo que trouxesse as experiências das pessoas para que todos pudessem aprender. Daí nasceu a nova série De Ponta Cabeça, no meu canal Caderninho da Bel no YouTube. No primeiro episódio entrevistei Allen Lima, da Família Lima.

Desde pequeno você queria ser músico?
Eu achava que ia ser jogador de futebol, mas acontece que meu pai era pianista e quando eu tinha quatro pra cinco anos de idade, ele colocou o piano na minha frente e me fazia estudar duas horas de piano todos os dias.

Você percebia que a música poderia ser profissão?
Que nada, eu pensava que era legal poder ajudar a família com a renda. Meu pai teve um problema com drogas e nessa época eu estava começando a virar adolescente e com doze anos eu fugi de casa e fui morar num instituto de música em Novo Hamburgo (RS). Lá eu cozinhava e em troca recebia a moradia, comida e aulas de música. Fiquei lá um ano e meio. Quando fiz 18 anos meu pai faleceu, e foi quando meu tio Zeca, pai dos guris da Família Lima (Amon, Moisés e Lucas) me chamou para tocar com ele em eventos e dar aulas na escola de música. Então fui morar com ele em Porto Alegre.

Foi assim que a Família Lima se formou?
Foi o começo. Não se chamava Família Lima, meu tio inventou um nome: Lima’s Family Show In Concert. As pessoas passaram a nos contratar, porém somente lá no Sul. Até que estávamos tocando em Porto Alegre e a esposa do governador ficou louca pela Família e nos convidou para tocar em um evento com todas as esposas dos governadores do País. Assim conhecemos a esposa do governador do Espírito Santo que quis nos levar para lá e foi nessa viagem que tudo mudou.

O que aconteceu nessa viagem?
Chegamos ao aeroporto e tinha uma atriz da Globo que viu meu tio tocar, adorou e pediu uma fita cassete para a minha tia Lorena, nossa empresária até hoje, para mandar para o Faustão. Depois de alguns dias recebemos uma ligação da produção do Faustão pedindo para estarmos no programa. Depois disso gravamos o primeiro disco que meu tio levou para um amigo na rádio. Uma de nossas composições, caiu no gosto das rádios de Porto Alegre e a música estourou no Rio Grande do Sul. Um dos grandes sucessos foi uma música que compus em cima de uma poesia do Lucas. Lembro que tivemos mais audiência que as músicas do Titanic que era o lançamento da época. Depois conhecemos um empresário que nos levou para São Paulo e era amigo da apresentadora Ana Maria Braga e fizemos diversos programas com ela, na época ainda na TV Record. A partir daí aumentou o número de shows, mas não é fácil. As pessoas precisam saber que alcançamos o nosso sucesso com muito esforço, contando moedinhas.

Outras Matérias
Outros Articulistas
Setembro 2018
Receitas de Vizinhos