Articulista
Augusto Cury
Inteligência Emocional
Augusto Cury
Psquiatra, psicoterapeuta, cientista e escritor
29/11/2018
A importância da família no desenvolvimento das crianças

Preocupar-se com os filhos é algo natural na vida da família. Pais sonham com as conquistas que seus filhos terão e almejam um futuro brilhante para suas crianças. Criam para eles uma rotina tão ou mais agitada quanto a de grandes executivos, com aulas de idiomas, esportes, artes e outras, a fim de prepará-los para o mercado de trabalho. Buscam proteger seus filhos de todos e quaisquer riscos, tentam poupar suas crianças das frustrações e as presenteiam por qualquer razão, e, sem se darem conta, muitas vezes criam um mundo artificial para seus filhos viverem. Não percebem que, dessa forma, estão impedindo que seus filhos aprendam, verdadeiramente, como é o mundo real. .

As famílias têm intenções excelentes para com seus filhos, mas não enxergam que não é preciso idealizar para conseguir educá-los e atender à única necessidade realmente importante, que é formar futuros adultos conscientes, felizes e capazes de conquistar o próprio sucesso, com a educação de suas emoções.

A família é a principal responsável por educar suas crianças; ela é o porto seguro que, de forma consciente e inconsciente, transmite valores, crenças que naturalmente são absorvidas de acordo com os exemplos de atitudes e comportamentos dos adultos ao seu redor. Por isso, é imprescindível que sejam estimuladas, logo nos primeiros passos, a desenvolver também as funções mais nobres de sua inteligência.

Para formarmos filhos mais inteligentes emocionalmente temos de começar a educá-los nisso desde pequenos, porém, nunca é tarde para começar.

Desenvolver as habilidades socioemocionais dos nossos filhos é essencialmente importante diante de uma sociedade que está mergulhada no comportamento imediatista, da superficialidade das relações, do consumismo, do egoísmo e em tantos outros comportamentos que se distanciam do que podemos relacionar com uma vida saudável.

Mas, quais são essas habilidades socioemocionais? São as habilidades mais complexas da inteligência, tais como pensar antes de agir e reagir, colocar-se no lugar do outro, ter a capacidade de superar perdas e frustrações, saber interpretar comportamentos e sentimentos (os próprios e os dos outros), ter emoção e olhar contemplativo, autoconfiança, autoestima, autocrítica, postura empreendedora, entre outras.

Todas essas habilidades são capazes de levar as crianças a desenvolver relações intra e interpessoais saudáveis, embasadas na ética, na honestidade, no respeito às diferentes perspectivas, na resolução de conflitos e no trabalho em equipe.

É fundamental que as famílias invistam na saúde emocional de seus filhos, contribuindo para a prevenção de depressão, estresse, fobias, agressividade, ansiedade, entre outros transtornos psicológicos. Para isso, é importante que compreendam que as crianças precisam vivenciar a sua infância, necessitam inventar, correr riscos, frustrar-se, ter tempo para brincar e se encantar com a vida.

foto: Divulgação

DICA DO MÊS
O livro conta a história de Theo Fester, que conseguiu vencer uma infância de pobreza e bullying para se tornar um empreendedor mundialmente conhecido. Sua vida pessoal, entretanto, não vai bem: ele e seus filhos vivem se digladiando por poder e atenção. Ao se dar conta de que sua família está aprisionada por cárceres mentais, Theo precisará se reinventar mais uma vez, antes que seja demasiado tarde.

Título: Prisioneiros da Mente
Autor: Augusto Cury
Editora: Harper Collins Br
Preço: R$ 19

*Preços pesquisados em outubro de 2018

Outras Matérias
Outros Articulistas
Dezembro 2018
Transforme 2019 no melhor ano de sua história