Articulista
Augusto Cury
Inteligência Emocional
Augusto Cury
Psquiatra, psicoterapeuta, cientista e escritor
28/05/2018
Técnicas fundamentais para ter uma mente brilhante
foto: Divulgação

Todos os grandes pensadores da história tiveram mais do que um QI (quociente de inteligência) privilegiado, mas um QP (quociente da arte de pensar) avantajado. O QP se refere às funções mais complexas da inteligência. O QI envolve registrar informações, assimilá-las, reproduzi-las e outros elementos, mas o QP vai muito além. Ambos são vitais para formar pensadores brilhantes, livres, generosos, tolerantes, criativos, ousados. Trabalhamos essas funções no projeto Escola da Inteligência, pois elas são pouco tratadas no currículo das escolas em todo o mundo, inclusive nas universidades.

Costumo resumi-las em 15 itens:
1.) Pensar antes de reagir.
2.) Aprender a expor, e não impor, as ideias.
3.) Colocar-se no lugar dos outros.
4.) Ter resiliência (capacidade de suportar contrariedades): trabalhar perdas e frustrações.
5.) Proteger a emoção: ferramenta para prevenir transtornos emocionais.
6.) Gerenciar o estresse.
7.) Administrar os pensamentos.
8.) Ser generoso: sentir o prazer de se doar.
9.) Ser tolerante: a capacidade de ser flexível.
10.) Ter carisma (arte de encantar os outros) e desenvolver trabalho em equipe.
11.) Desenvolver a arte da dúvida.
12.) Desenvolver a arte da crítica e autonomia.
13.) Usar o raciocínio complexo: enxergar por múltiplos ângulos os mesmos fenômenos.
14.) Ter pensamento imaginativo e ser criativo.
15.) Ter sonhos como projetos de vida e disciplina como alicerce dos projetos.
Outro ponto importante é como fazemos para despertar nos nossos jovens o prazer em aprender, a paixão pelo conhecimento, perante essa conectividade excessiva. Fazê-los descobrir a história por trás das informações, dar personalidade a elas. Não adianta querer ter paixão em aprender sem investigar minimamente o que está nos bastidores das informações. A história da informação turbina o prazer de aprender.

Os alunos precisam saber que cada informação que ouvem ou veem tem lágrimas, aventuras, noites de insônia, coragem e vontade de mudar o mundo por parte do pensador que a produziu. As informações têm de ganhar personalidade! Por trás da teoria da relatividade do cientista Albert Einstein existiram dificuldades, desprezos, batalhas e dúvidas. Milhões de pessoas aplaudem as ideias de Einstein, mas não sabem as crises pelas quais ele passou. Parece que ele é um deus da ciência e nós, ignorantes. Esse endeusamento impede os alunos de ousarem como Einstein.

É relevante também saber correr riscos. Quem vence sem riscos e dificuldades, sobe ao pódio sem glórias. Muitos jovens não saem da zona de conforto e por isso não desenvolvem sua total capacidade. É preciso investir na mente dos alunos e nas técnicas que formam pensadores, para que assim consigamos criar, de fato, as mentes brilhantes.

Outras Matérias
Outros Articulistas
Agosto 2018
Parabéns Alphaville 45 anos!