Articulista
Augusto Cury
Inteligência Emocional
Augusto Cury
Psquiatra, psicoterapeuta, cientista e escritor
27/10/2017
Como formar mentes brilhantes na era da ansiedade
Você sabe como proteger a sua emoção?
Foto: Divulgação

Estamos num período fascinante do ponto de vista tecnológico: a era da inteligência artificial, microcirurgias e grandes descobertas. Mas estamos também na era da ansiedade, do consumismo, das pessoas que têm medo de mapear seus fantasmas mentais e de fazer a viagem mais importante que um ser humano deve realizar: a viagem para dentro de si mesmo. Portanto, nesse tempo de estresse, precisamos nos aprofundar e conhecer os bastidores da mente humana para sermos pais melhores, professores mais efetivos e seres humanos com mais qualidade de vida.

Em sua grande maioria, os pais hoje não conseguem fazer com que seus filhos sejam tranquilos nem ensiná-los a lidar com as perdas e fracassos. Estamos diante de uma geração rápida, urgente, hiperconectada, mas desconectada de si mesma. Uma geração que não sabe proteger sua emoção, que deixa a própria mente ser uma terra de ninguém.

Você sabe como proteger a sua emoção? Por não aprendermos a desenvolver ferramentas para prevenir transtornos psiquiátricos, nossa mente tem sido estressada frequentemente por essa sociedade superestimulada. Por exemplo, o excesso do uso de smartphone. Pesquisas demonstram que os pais dão os aparelhos eletrônicos para os filhos desde seu primeiro ano de vida para os acalmarem, sem saber que a hiperestimulação digital pode causar intoxicação e patrocinar a síndrome do pensamento acelerado. Pensar sem gerenciamento pode causar sérios problemas.

Outro agravante: as escolas hoje são excessivamente cartesianas. É muito importante que nossa educação deixe de ser apenas racionalista. O racionalismo trouxe grandes avanços, mas essa tecnologia toda, esse pool patrocinado pelo cartesianismo, mostrou-se insuficiente para formar mentes brilhantes na era do estresse e da ansiedade. As pessoas podem detectar falhas quando a torneira está pingando, quando a parede está rachada, porém, às vezes, seus filhos, alunos ou cônjuges estão pedindo socorro de um modo não verbal, e elas não têm a capacidade de identificar o que está por trás das cortinas dos comportamentos. Pai, mãe, professor, executivo, você não deve se sentir culpado, mas precisa fazer uma revisão da sua história de vida.

Temos de ter uma educação que cuida da gestão das emoções. Sem isso, os ricos se tornam miseráveis; cientistas se tornam meninos no território da sua própria mente; jovens se tornam encarcerados, dependentes de mídias digitais. Precisamos aprender a controlar nossos fantasmas mentais como o sentimento de culpa, de incapacidade e reeditar as janelas da memória que financiam essas experiências encarcerantes. Portanto, é muito importante saber que, se não cuidarmos do processo de gerenciamento de pensamentos - um dos processos vitais da gestão da emoção, é muito provável que venhamos a desenvolver traumas e conflitos ainda que tenhamos tido uma infância feliz e uma adolescência saudável.

Outras Matérias
Outros Articulistas
Julho 2018
Silvio Santos vem aí!