Articulista
Amaury Jr
Flash
Amaury Jr

Jornalista e apresentador de televisão.

27/07/2018
Gloria Gaynor lança novo livro

Entrevistei a cantora Gloria Gaynor, conhecida por seus grandes sucessos da Era Disco, Never can Say Goodbye, Let Me Know (I Have A Right), I Am What I Am e, principalmente, I Will Survive e que lançou seu livro We Will Survive. A obra conta histórias emocionantes que ela garimpou de pessoas que sobreviveram e contou que lançará mais um disco, agora com músicas cristãs.

Nesse livro, qual foi a história que mais a impressionou?
Várias, mas uma delas em especial: quatro jovens se formaram na faculdade e a caminho de uma festa não colocaram o cinto de segurança para não amassar os vestidos. Sofreram um acidente e três delas morreram. A que sobreviveu só soube que as amigas tinham morrido depois de seis meses porque teve danos no cérebro. Os jovens precisam saber a importância de usar o cinto de segurança.

Em 2015 você recebeu o Grammy. Como se sente com um reconhecimento como este?
Bem, o Grammy é um prêmio em que você é escolhido pelos seus companheiros do ramo musical, então é maravilhoso ser escolhida por eles e ainda ter valor por ser nomeada. Mesmo se não ganhar, ainda é uma honra ser nomeada, e foi incrível para mim! Eu me senti orgulhosa.

Quando você gravou I’ll survive , me parece que teve uma premonição de que essa seria o hit da sua vida. Isso é verdade?
Quando eu li a letra da música antes de ouvir, percebi que ia ser um grande hit, pois na época eu estava com um colete vertebral por ter feito uma cirurgia na coluna, e minha mãe tinha falecido alguns anos antes e eu senti que não iria sobreviver. Por tudo isso, e por relacionar a esta música sentimentos que nada têm a ver com um caso de amor, achei uma boa ideia, e deu nisso.

É verdade que você fala com Deus?
Certamente. Todos os dias. Orando eu falo com Ele, orar é simplesmente falar com Deus. Às vezes Ele me responde na hora, outras, demora um pouco mais. Não sei se a demora é para Ele responder ou para eu ouvir, mas sei que não recebo as respostas imediatamente; e às vezes Ele fala comigo quando não falo com Ele. Eu acho que Ele fala com todos nós quando não estamos ouvindo.

E quanto ao Brasil, sente saudade?
Sei que tem amigos no Brasil. O cantor Alexandre Pires, por exemplo. Sim, sinto saudade do Brasil, tenho alguns amigos lá, e nos comunicamos pelo Facebook. Mas estar presente é diferente. Foi maravilhoso trabalhar com o Alexandre Pires, ele me ajudou com o meu espanhol e foi muito carinhoso e acolhedor. Uma ótima experiência para mim.

Quais são as cantores da nova geração que você ouve?
Particularmente, gosto muito das coisas que a Beyonce faz, eu amo Alicia Keys, John Legend, Pharrel, Justin Timberlake. Eles fazem uma música muito boa.

Como você vê o racismo na América e no mundo?
Eu enxergo o racismo como um problema não só para os negros na América, mas é um problema maior para todos. É ódio enraizado no coração da pessoa. É ódio em todas as situações, às vezes pela cor, pelo tamanho, às vezes pela nacionalidade e sem razão ou sentido nenhum. Nada vai mudar, se os racistas continuarem alimentando essa raiva toda.

Quais são seus novos projetos?
Eu tenho um que estou muito empolgada em lançar, por ser meu primeiro projeto internacional. É um álbum com músicas cristãs. E eu escrevi a maior parte das canções. Mal posso esperar por esse lançamento. 

Outras Matérias
Outros Articulistas
Dezembro 2018
Transforme 2019 no melhor ano de sua história