Articulista
Amaury Jr
Flash
Amaury Jr

Jornalista e apresentador de televisão.

14/12/2017
A cura do Padre Marcelo Rossi
Antes, eu não acreditava em depressão
Foto: http://amauryjr.com.br

Em entrevista com o Padre Marcelo Rossi, um grande nome da igreja católica no Brasil, conheci um pouco sobre sua história. Foi ele quem inaugurou uma nova era, levando a religião para o meio artístico, cantando, dançando, fazendo coreografias e lotando igrejas. Vendeu vinte milhões de discos, 12 milhões de livros, ganhou prêmios e reconhecimento. Entretanto, nem tudo foram glórias: ele sofreu depressão e síndrome do pânico. Mas, neste momento, está em uma nova fase e lançando seu mais novo trabalho: CD e DVD Imaculada.

Padre Marcelo Rossi, me conte como foi a depressão que você teve?
Foi um processo que começou na época da construção do santuário (em Santo Amaro, São Paulo). Sempre tive muitas dores na coluna, e tomava anti-inflamatórios havia dois anos, além de remédios para dores. Aí quebrei a perna e parei de fazer exercícios, isso já mexe com nosso bem-estar. Foi quando meu dentista, grande amigo, me alertou dizendo para eu fazer exames, pois havia a possibilidade de eu estar com cirrose medicamentosa. Fiz os exames e parei com tudo que estava tomando. Veio a depressão. Como descobri? Eu amo comer - a comida passou a não ter sabor. E o pior foi que perdi o prazer de celebrar missas. Isso é uma missão, não uma profissão.

Chegou a pensar em se matar?
Não, pois meu avô materno se suicidou, então tal coisa nem me passou pela cabeça. Não iria fazer isso com minha mãe. Também não tomei nenhum antidepressivo, porque eu não queria.

Considera que isso foi uma provação?
Sim, a melhor de todas. Vamos falar assim, tudo concorre para o bem daqueles que amam a Deus. Como eu não acreditava em depressão, e passei por isso, hoje estou podendo ajudar as pessoas com o conhecimento de causa que eu não tinha. Hoje, posso dizer, essa doença atinge todos; não escolhe idade, nem classe social e, principalmente, não é frescura.

A sua presença na igreja católica trouxe renovação. Você tem noção do seu poder?
O Papa João Paulo II esteve em 1997 em São Paulo e falou para cerca de trezentos padres, e eu estava presente. Ele disse: hoje todas as pessoas se perderam e vocês padres precisam ir atrás das pessoas e traze-las de volta. Sentei com o meu bispo e fiz uma promessa que iria evangelizar em todos os meios de comunicação. Enfrentei várias lutas. Mas, aos poucos, mostrei o lado da renovação carismática da igreja católica. Quando o Papa Bento XVI assumiu, eu relaxei. E não posso relaxar. Eu via o santuário lotado e já achava que estava bom. Mas Deus permitiu que eu tivesse a depressão para me mexer.

Como conseguiu se curar da depressão?
Passei sete meses e vinte e dois dias com depressão. Saí da depressão em 1º de março de 2013, dia de Santa Terezinha, da qual sou devoto. Para você
entender: o Papa Francisco estava aqui e eu ia cantar para ele. Eu estava lá, mas não consegui. Tive uma crise e fui embora. Durante 47 anos eu não sabia o que era a insônia. A depressão me apresentou a insônia, chegava meia noite e eu não dormia. Pensei: preciso fazer alguma coisa. Foi aí que lancei o programa ao vivo na rádio Globo da meia-noite à uma. Você não tem noção como isso toca as pessoas.

Como está a fé das pessoas hoje?
Declarei no Fantástico que eu estava com depressão. Todos pensaram: puxa um padre com depressão? Mas o fato de eu ter contado ajudou muito as pessoas. Muitas revelavam que também tinham. Minha coragem ajudou as pessoas. Não tem a ver com a fé; pelo contrário, foi a fé que me ajudou, me salvou. É possível vencer a depressão. Muito importante dizer que não é frescura. Não tem idade e não tem classe social, ela pega todo mundo.

Outras Matérias
Outros Articulistas
Setembro 2018
Receitas de Vizinhos